Raikkonen promete brigar até o fim pelo Mundial da F-1

'Não vou me render. Sou um lutador e continuarei demonstrando', diz o finlandês, terceiro no campeonato

Efe,

02 de outubro de 2007 | 13h06

O piloto finlandês Kimi Raikkonen, companheiro do brasileiro Felipe Massa na Ferrari, afirmou que lutará até o fim pelo título do Mundial de Pilotos da Fórmula 1, mesmo com poucas chances. Veja também: Classificação do Mundial Leia mais no Blog do Lívio "Não vou me render, nem falar nada. Sou um lutador e continuarei demonstrando isso", afirmou Raikkonen em declarações publicadas por seu site. Após a vitória do inglês Lewis Hamilton no Grande Prêmio do Japão, o piloto da McLaren, líder do Mundial, abriu 17 pontos de vantagem faltando duas corridas para o fim da temporada. Porém, a esperança de Raikkonen é pelo menos tirar o segundo lugar de Fernando Alonso, também da McLaren. Com a quebra do piloto espanhol, e o terceiro lugar do finlandês, a diferença entre os dois é de apenas cinco pontos. O desempenho de Raikkonen no Japão foi excelente. Ele conseguiu ficar em terceiro após cair à última posição devido a uma troca de pneus logo na terceira volta. O finlandês criticou a organização da prova por não ter avisado a tempo a equipe Ferrari de que os pneus para chuva deviam ser usados desde a largada. "Quando tomam este tipo de decisão tão importante, eles deveriam garantir que todas as equipes saibam com antecedência suficiente", afirmou. Para o piloto da Ferrari, esta parada nos boxes arruinou suas chances de vencer a prova, dificultando ainda mais as possibilidades de lutar pelo Mundial. "Obviamente, tenho poucas esperanças de ganhar o campeonato. Mas é melhor ter poucas esperanças que nenhuma", comentou. Raikkonen assegurou que fará todo o possível para vencer as duas provas restantes da temporada - China e Brasil - e somar o máximo possível de pontos. "Parece que Hamilton já conseguiu o título, mas não vou me render. Pelo menos tentarei tornar as coisas mais difíceis vencendo as duas últimas corridas", disse. Ao falar sobre o Grande Prêmio da China, no próximo domingo em Xangai, Raikkonen assegurou que, apesar de nunca ter vencido neste circuito, tentará pressionar os pilotos da McLaren o máximo possível. O piloto de Ferrari deve conseguir pelo menos sete pontos de diferença em relação a Hamilton se quiser manter vivas suas esperanças de superar o inglês.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1Kimi RaikkonenFerrari

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.