Raikkonen: Trocar de time foi importante para o título

Ex-piloto da McLaren elogia ambiente da Ferrari; finlandês só teve certeza do título no final da corrida

Milton Pazzi Jr., do estadao.com.br,

21 de outubro de 2007 | 16h49

Já falando como campeão do mundo, após a vitória no GP do Brasil deste domingo, o finlandês Kimi Raikkonen agradeceu a Ferrari e alfinetou a McLaren, onde correu por quatro anos e conquistou dois vice-campeonatos, em 2003 e 2005.  Veja também: Raikkonen vence no Brasil e é campeão da Fórmula 1 em 2007 Equipes não são punidas e Raikkonen é campeão  A vitória e o título de Raikkonen "É difícil colocar em palavras o que sinto. Estou gostando da F-1 muito mais este ano do que o ano passado e agradeço a todos na Ferrari. A equipe foi uma grande força, fez um grande trabalho, melhorando o carro com as novas regras, e vou passar o próximo mês comemorando o título", disse o contido Raikkonen. Depois de uma temporada complicada pelo bom desempenho da McLaren na maioria delas, Raikkonen teve um GP do Brasil bastante tranqüilo, tendo alguma dificuldade apenas nas primeiras curvas, quando saiu de terceiro para segundo, superando Lewis Hamilton. "Fiz uma largada muito boa, mas não queria bater e acabei recolhendo, vi no espelho o Hamilton saindo da pista [logo na terceira curva]. A Ferrari tinha boa velocidade, foi um dia de trabalho perfeito. O trabalho no ano inteiro foi muito bom", disse o finlandês. Mesmo com a grande vantagem técnica da Ferrari e os problemas de Hamilton no começo da prova, que fizeram o piloto da McLaren cair para a 18.ª posição logo na sétima volta, o inglês ainda tinha chance de garantir o título, uma vez que precisava apenas do quinto lugar. "Não estava 100% seguro, mesmo liderando a corrida com grande vantagem, porque alguém à frente do Hamilton poderia parar e eu só poderia esperar. Foi muito difícil e longa essa espera. Ele conseguiu marcar pontos, mas o título ficou comigo", comemorou.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1GP do Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.