Aly Song/Reuters
Aly Song/Reuters

Raikkonen vê largada e treino como decisivos na Hungria

Piloto da Lotus lembra que o circuito de Hungaroring é muito travado, o que dificulta as ultrapassagens

AE, Agência Estado

20 de julho de 2013 | 11h37

ENSTONE - Com a experiência de quem já participou de 10 edições do GP da Hungria, com quatro segundos lugares e um triunfo, o finlandês Kimi Raikkonen avaliou que o treino de classificação e a largada serão fundamentais para definir o vencedor da corrida, marcada para o dia 28 de julho. O piloto da Lotus lembrou que o circuito de Hungaroring é muito travado, o que dificulta as ultrapassagens.

"Terminei em segundo lugar na Hungria muitas vezes, por isso sei o quanto é importante liderar a corrida após a primeira curva. Com a asa móvel ou não, nunca é fácil ultrapassar em Hungaroring. Para ter um bom fim de semana, você tem que ter boas sessões nos três treinos livres, em seguida, um treino de classificação forte e, finalmente, um começo perfeito de corrida", disse.

Raikkonen avaliou que a possibilidade da prova ser disputada sob intenso calor pode favorecer a Lotus, que tem apresentado bom rendimentos nessas condições. "Normalmente é muito quente, o que faz com que seja uma corrida exigente. É claro que o calor nos ajudou com o carro até agora este ano, por isso, vamos fazer as coisas melhor, e você só não vai sofrer com o calor se vencer", afirmou.

O piloto da Lotus lembrou que o GP da Hungria costuma atrair muitos torcedores da Finlândia, o que aumenta a sua motivação. "Muitos finlandeses vêm para a corrida todos os anos e é sempre bom ver as bandeiras azuis e brancas tremulando", comentou Raikkonen, que ocupa o terceiro lugar no Mundial de Pilotos e ficou na segunda colocação no GP da Hungria em 2012.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.