Ralf quer atrasar conquista do irmão

Se depender da ajuda de Ralf Schumacher, da Williams, seu irmão mais novo, Michael Schumacher, da Ferrari, não será campeão já na próxima etapa do Mundial, 11.ª da temporada, o GP da França, dia 21, em Magny-Cours. "Não desejo lhe cumprimentar pela conquista do título na França. Prefiro estender meus parabéns o máximo possível", disse hoje Ralf. Com 86 pontos diante de 32 de Rubens Barrichello, seu companheiro de equipe, Schumacher pode definir o campeonato em Magny-Cours. Ele precisa necessariamente vencer, como já fez sete vezes este ano, e torcer para Rubens Barrichello ou Juan Pablo Montoya, da Williams, com 31 pontos, não classificarem-se em segundo. Ralf está em quarto, com 30. A combinação Schumacher em primeiro e Ralf em segundo, contudo, garante o título para o piloto da Ferrari. A lógica sugere que Schumacher, se tiver a chance, dependendo de como a corrida irá se desenvolver, extenderá a disputa até a etapa seguinte do Mundial, o GP da Alemanha, dia 28, no remodelado circuito de Hockenheim. "Se puder escolher, prefiro ser campeão diante da minha torcida", afirmou Schumacher. Essa posição do piloto associada com o momento mágico de Barrichello na Fórmula 1 reforça a possibilidade de o brasileiro ganhar a corrida. A prova de Magny-Cours pode confirmar a extraordinária evolução da nova Williams. Pelo que demonstrou em Silverstone e também tendo-se por base as declarações de Juan Pablo Montoya e Ralf Schumacher, o carro reduziu a diferença de desempenho que separa a Williams da Ferrari. Outro ponto a favor de Montoya e Ralf é que Magny-Cours fica a poucos quilômetros de Clermont Ferrand, onde são produzidos os pneus Michelin que equipam seu time. É de se esperar também uma menor diferença entre os eficientes pneus Bridgestone da Ferrari e os Michelin da Williams e da McLaren. Condecoração - Montoya recebeu hoje do rei Juan Carlos, no Palácio Real de Madrid, Espanha, o Troféu Comunidade Ibero-americana, por ter sido escolhido o esportista ibero-americano mais destacado, em âmbito internacional, em 2001. O colombiano disse que o prêmio representa "um incentivo para seguir adiante." Montoya conquistou as quatro últimas pole positions do Mundial, nos GPs de Mônaco, Canadá, Europa e Grã-Bretanha. Monza - Depois do grave acidente sofrido quinta-feira pelo australiano James Courtney, piloto de testes da Jaguar, na curva Ascari do circuito italiano, Eddie Irvine, da mesma equipe, afirmou que a Fórmula 1 não deveria mais correr em Monza. "Só faria sentido se modificassem bastante a pista. Como está, é muito perigosa."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.