Ralf Schumacher admite ajudar Montoya

Não dá para ser mais claro. Nesta sexta-feira, Ralf Schumacher afirmou: "Sou funcionário da Williams. Se me encontrar em uma situação que dê para ajudar meu companheiro, o farei, ainda que meu coração preferisse que um Schumacher fosse campeão." É isso mesmo, se vier ordem de Frank Williams e Patrick Head, os sócios da Williams, Ralf poderá ajudar o colombiano Juan Pablo Montoya vencer o campeonato da Fórmula 1, em detrimento de seu irmão, Michael Schumacher, da Ferrari. Mas Ralf também mandou um aviso, em entrevista à imprensa européia. "Caso eu não tenha mais chances de ser campeão", lembrou o alemão, dizendo ainda não ter desisitido da disputa do título.Como Ralf tem poucas possibilidades de conquistar o título pela primeira vez, por ter somado 53 pontos em 12 etapas, parece possível que, de repente, dificulte, legalmente, a ultrapassagem de algum adversário, a fim de que Montoya abra na pista a máxima diferença para seus concorrentes. O líder é Michael Schumacher, com 71 pontos, seguido por Montoya, que tem 65, e Kimi Raikkonen (McLaren), com 62.Restam as provas de Hunagoring, dia 24, de Monza, 14 de setembro, Estados Unidos, 28 de setembro, e Japão, 12 de outubro. Montoya já se manifestou a respeito do pedido dos diretores da BMW, Mario Theissen e Gerhard Berger, que defendem a concentração de esforços no seu piloto mais bem colocado na classificação. "Espero que nossa equipe observe essa orientação", disse o colombiano.O trabalho de Rubens Barrichello para Michael Schumacher e o de Ralf para Juan Pablo Montoya, já na Hungria, concentrará a atenção dos comissários desportivos. Oficialmente é proibido jogo de equipe. Mas os comissários sabem que há inúmeras formas de colaborar para que o companheiro seja favorecido, bem como seu adversário prejudicado, sem que aparentemente se possa acusá-los de qualquer irregularidade. No caso da corrida de Budapeste, Montoya talvez não possa contar muito com Ralf, porque ele deverá largar dez posições para trás da que conseguir na tomada de tempo, em razão de ter sido punido pelo acidente na largada no GP da Alemanha, domingo.Ralf ainda pode se safar da punição, se o Tribunal de Apelação acatar o recurso da Williams. De qualquer forma, o tema "jogo de equipe" deve ganhar grandes proporções nas próximas semanas, já que até Bernie Ecclestone defende que nos casos de definição do campeonato, como agora, um piloto pode auxiliar o companheiro ser campeão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.