Rali: sono, a principal dificuldade

"Não foi tão difícil como se esperava.?? Assim Klever Kolberg definiu a segunda fase da etapa "maratona?? do Rali Paris-Dacar, entre Ouzazate e Tan-Tan, no Marrocos, e Zouerat, na Mauritânia, quinta-feira e hoje. O trecho teve cerca de 1.600 quilômetros. "Na verdade o trajeto cronometrado parecia uma avenida com 370 quilômetros de extensão, em linha reta. O que realmente dificultou foi o sono. Eu larguei às 2h25 (0h25 de Brasília)??, disse. O brasileiro ficou em 17.º entre os carros hoje - o japonês Kenjiro Shinozuka venceu a etapa - e é 13.º no geral. O líder é o japonês Hiroshi Masuoka. A tal "avenida?? chegou a assustar o estreante Luiz Mingione, líder da Super Production até 250 cc nas motos. Ainda se acostumando com a paisagem do deserto, ele disse que sentiu medo ao olhar para os lados e não encontrar nenhum sinal de vida. "Na hora fiquei pensando o que poderia acontecer se eu ficasse lá perdido. Mas logo depois já havia me localizado.?? A tranqüilidade de Mingione não durou muito. Ao cruzar um vilarejo, ele foi surpreendido por um bando que o ameaçou com pedaços de pau. "Parecia que eles queriam me acertar. Foi assustador??, narrou. O italiano Fabrizio Meoni venceu a etapa e assumiu a liderança entre as motos. Juca Bala, atual campeão na categoria motos Super Production até 400 cc, foi o 50.º e está em terceiro na atual edição. Entre os caminhões, André Azevedo e os checos Tomas Tomecek e Mira Martinec estão em segundo na classificação.

Agencia Estado,

04 de janeiro de 2002 | 18h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.