Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Lars Baron/ EFE
Lars Baron/ EFE

Red Bull acusa Hamilton de direção suja e desesperada em acidente com Verstappen

Piloto britânico causa acidente com líder do campeonato nas voltas iniciais, é punido, mas vence a prova em Silverstone

Redação, Estadão Conteúdo

18 de julho de 2021 | 15h26

A equipe Red Bull não poupou críticas a Lewis Hamilton após o acidente com Max Verstappen na segunda volta do GP da Inglaterra, em Silverstone, neste domingo. Christian Horner, chefe da equipe austríaca, definiu a batida no carro do holandês como uma atitude desesperada e premeditada do piloto da Mercedes e acusou o heptacampeão mundial de "direção suja".

"Acho que foi uma jogada desesperada. Ele não conseguiu fazê-la na primeira parte da volta, o que obviamente estava preparado para fazer, e então foi enfiando uma roda para cima, o que você simplesmente não faz", acusou o chefe da Red Bull, acusando o inglês de ter premeditado o acidente. "Copse é uma das curvas mais rápidas do mundo. Você não enfia a roda por dentro ali. Isso é direção suja."

Foi justamente nesta curva que Hamilton ultrapassou Charles Leclerc para ganhar o GP da Inglaterra, na penúltima volta. Mas Horner só queria saber de disparar contra a Mercedes em relação ao toque que acabou jogando Verstappen com enorme força e susto para a proteção de pneus.

"Ele (Verstappen) estava extremamente sem fôlego, foi um duro acidente", acrescentou Horner. "É um grande alívio vê-lo sair ileso porque aquela curva é uma das mais rápidas do calendário. Estava completamente fora de serviço (o Hamilton) enfiar uma roda lá dentro."

"Após uma avaliação dos médicos de pista do Silverstone Circuit Medical Center, Max Verstappen foi levado a um hospital local para mais testes de precaução", informou um comunicado da Red Bull. Verstappen reclamou muito de dores na perna direita e de um pouco de dificuldade em respirar.

Ian Roberts, médico responsável pelo primeiro atendimento a Verstappen, ainda na pista, disse que Verstappen não queria nem ser encaminhado ao hospital, apesar da falta de fôlego, mas acabou convencido pelo medo que tivesse sofrido uma concussão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.