Roman Rios/Efe
Roman Rios/Efe

Red Bull foi quem mais quilometragem acumulou nos primeiros treinos da F-1

Outra equipe que demonstrou iniciar a pré-temporada muito bem foi a McLaren

Livio Oricchio, O Estado de S.Paulo

08 de fevereiro de 2013 | 10h24

JEREZ DE LA FRONTERA - Esta sexta-feira é o último dia de testes da primeira série dos treinos de pré-temporada da Fórmula 1, em Jerez de la Frontera, no sul da Espanha. Três campeões do mundo estão na pista da região da Andaluzia, onde as temperaturas são bem mais amenas que na maioria do continente europeu: Sebastian Vettel, com o já eficiente modelo RB9-Renault, Kimi Raikkonen, com a bem nascida Lotus E-21-Renault, e Lewis Hamilton, agora com a missão de tornar a equipe Mercedes vencedora. E o carro deste ano, W04, apesar dos problemas nos dois primeiros dias, não sugere ser ruim.

Depois de três dias de ensaios, a Red Bull foi quem mais quilometragem acumulou, algo importante nessa fase inicial de preparação para o início do campeonato, programado para começar dia 17 de março em Melbourne, na Austrália. Com Mark Webber na terça-feira e quarta-feira e Vettel na quarta, a Red Bull completou 276 voltas no traçado de 4.428 metros, o equivalente a 1,221,1 quilômetros. Como cada GP tem 305 quilômetros, o modelo RB9 da Red Bull já “disputou” 4 Gps. E melhor, segundo Vettel, ontem: “O carro é uma evolução do usado no ano passado e mais confiável, pois não tivemos problemas técnicos até agora, ao contrário de 2012”. Seu melhor tempo foi obtido por Vettel ontem, 1min19s052, com pneus Pirelli médios.

Outra equipe que demonstrou iniciar a pré-temporada muito bem foi a McLaren, de Jenson Button e Sergio Perez, vencedora das duas últimas etapas de 2012, nos Estados Unidos, com Hamilton, e Brasil, Button. Seus dois pilotos deram 201 voltas nos três primeiros dias, percorrendo 890,0 quilômetros. “Ainda não estamos no mesmo nível de como terminamos 2012, mas a base desse carro (MP4/28-Mercedes) é promissora. Eu me senti à vontade desde o primeiro instante e os novos pneus Pirellli, capazes de aquecer mais rápido, ao que parece resolveram nossa maior dificuldade no ano passado”, afirmou Button, campeão do mundo de 2009. O tempo de Button terça-feira ainda impressiona: 1min18s861, com pneus duros.

A Lotus impressionou em 2012, com Kimi Raikkonen lutando pelo título até as etapas finais. E o modelo E-21 deste ano, segundo o piloto e seu companheiro, Romain Grosjean, é melhor que o de 2012. Os dois completaram nos três primeiros dias 189 voltas, ou 836,8 quilômetros. A melhor marca da Lotus é a de Grosjean quarta-feira, 1min18s218, com pneus macios.

Na terça-feira e quarta-feira, a nova Ferrari F138 não entusiasmou Felipe Massa e até deixou no ar a impressão de ser outro carro difícil de ser compreendido. Mas ontem o próprio Massa comentou ter encontrado com os engenheiros o caminho para melhorá-lo. O F138 evoluiu rápido com novos componentes do conjunto aerodinâmico e mecânico. Com os novos pneus macios da Pirelli, mais aderentes que os de 2012, Massa fez o primeiro tempo do dia, ontem, 1min17s879, e até agora o melhor dos testes. Com Massa nos três dias a Ferrari deu 224 voltas, o que significa percorrer 991,8 quilômetros.

O Brasil tem novo representante na Fórmula 1, este ano. É o baiano Luiz Razia, de 23 anos, pela equipe Marussia, junto da Caterham as de menos recursos na competição. Hoje é a sua vez de acelerar o modelo MR2-Cosworth. Na sua estreia, quarta-feira, deu 30 voltas até enfrentar uma pane no motor. Seu objetivo é andar o máximo possível com o carro para conhecê-lo e ganhar experiência.

De regresso às escuderias grandes, falta a Mercedes. Nico Rosberg teve problemas elétricos na terça-feira e apenas deu 14 voltas. Na quarta-feira, dificuldades com os freios traseiros levaram Lewis Hamilton colidir de frente nos pneus, na sua estreia na Mercedes. Foram apenas 15 voltas de ensaio. Mas ontem Rosberg completou impressionantes 148 voltas, o que dá a Mercedes um total de 177 voltas ou 783,7 quilômetros. Melhor tempo: 1min18s766 de Rosberg, ontem.

Antes da abertura do Mundial a Fórmula 1 fará mais duas séries de testes, ambas no Circuito da Catalunha, em Barcelona. A primeira de 19 a 22 e a segunda de 28 de fevereiro a 3 de março. “Os treinos em Barcelona nos darão melhor indicativo da condição de cada equipe, pois aqui em Jerez o asfalto é mais abrasivo que em todas as pistas do calendário e não iremos enfrentar temperaturas do asfalto tão baixas como estas, na casa dos 20 graus, por estarmos no inverno”, avaliou Button.

Tudo o que sabemos sobre:
velocidadeF-1Fórmula 1

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.