Werther Santana/Estadão - 08/11/2013
Werther Santana/Estadão - 08/11/2013

Reforma em Interlagos começa em junho, mas local da largada não muda

Autódromo de São Paulo ganhará novo asfalto e terá paddock e área dos boxes ampliados

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

26 de março de 2014 | 11h27

SÃO PAULO - O autódromo de Interlagos, em São Paulo, começará a passar por reformas no meio deste ano para se adequar às exigências da Fórmula 1, mas a intervenção mais radical está descartada. Segundo a organização do GP do Brasil, o paddock, os boxes e o ponto de largada serão mantidos na localização atual e não vão mais para a reta oposta, como previsto anteriormente. O custo total da reforma é estimado em R$ 160 milhões, valor já garantido pelo Ministério do Turismo.

A primeira ação da obra deve começar entre os meses de junho e julho e vai fechar o autódromo por determinado período. A pista de 4.309 metros será totalmente recapeada pela primeira vez desde 2007. O prazo de troca do asfalto geralmente é de cinco anos, mas não foi necessária fazer a revitalização antes disso. A obra vai terminar meses antes da realização do GP do Brasil de Fórmula 1 deste ano, marcado para o dia 9 de novembro.

Para 2015 está aguardada uma reforma ainda maior. A área dos boxes e do paddock serão ampliadas para atender aos pedidos das escuderias, que querem mais espaço para acomodar o estafe e montar áreas de escritório, cozinha e recepção de convidados durante o fim de semana da corrida.

"A infraestrutura no local já existe, como as cabines de rádio, por exemplo. Continuar na mesma reta dos boxes atende às exigências e representa custo menor de obra", disse a diretora-executiva do GP do Brasil, Cláudia Ito. A revitalização deve contemplar a construção de até três novos boxes, além da montagem de uma nova estrutura anexa. "Vamos preservar a característica que Interlagos tem da movimentação do paddock, que permite a proximidade entre pilotos e imprensa", explicou.

EQUIPES E TEVÊS

De acordo com a organização do GP do Brasil, uma pesquisa da Formula One Management (FOM), empresa que gerencia a categoria, foi decisiva para a manutenção da posição atual da reta dos boxes. A companhia conversou com equipes e emissoras de televisão, que consideraram ser negativa a troca do local de largada, porque poderia fazer a pista perder identidade e impactar na qualidade da corrida.

Durante a reforma do paddock, a pista continuará a receber eventos de outras categorias do automobilismo nacional, que serão abrigadas em outras áreas de Interlagos, nos arredores dos boxes atuais, por exemplo. A revitalização será realizada pela SPObras, empresa da prefeitura vinculada à Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras, que deve divulgar em breve o cronograma detalhado das etapas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.