Renault abandona Associação de Construtores da Fórmula 1

A escuderia francesa Renault, atual bicampeã mundial, anunciou nesta sexta-feira que deixará a Associação de Construtores da Fórmula 1 (GPMA). Em nota, a equipe explicou que optou por sair por não concordar com a atitude da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), que não mantém contato com todas as onze escuderias da categoria."A Renault fortaleceu seu compromisso com a Fórmula 1 ao se tornar a fornecedora de motores da equipe Red Bull Racing neste ano. Queremos seguir colaborando com os demais construtores e com a FIA. Queremos que no futuro a Fórmula 1 melhore como espetáculo, reduza seus atuais custos e sobreviva durante muito tempo", explicou a equipe.Além da Renault, a Toyota também havia deixado a associação, em agosto do ano passado. Agora, o grupo conta apenas com BMW Sauber, McLaren e Honda. Segundo a Renault, a FIA só estabelece um diálogo com as equipes que participam da GPMA. As demais não têm a chance de participar das reuniões da entidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.