Arquivo/AE
Arquivo/AE

Renault admite fraude na F-1 e Flavio Briatore é demitido

Equipe avisa que não contestará versão de Nelsinho no julgamento do dia 21; Pat Symonds também está fora

AE, Agência Estado

16 de setembro de 2009 | 08h42

PARIS - A Renault anunciou nesta quarta-feira que Flavio Briatore e Pat Symonds não fazem mais parte de sua equipe na Fórmula 1. Os dois eram os principais funcionários da montadora francesa na categoria, e não resistiram às acusações de terem arquitetado um acidente proposital de Nelsinho Piquet no GP de Cingapura de 2008.

Veja também:

especialENTENDA - O escândalo Nelsinho-Briatore

linkBriatore: dinheiro, mulheres e inimigos no currículo

F-1 2009 - tabela Classificação | especialCalendário

especialESPECIAL - jogue o Desafio dos Pilotos

blog BLOG DO LIVIO - Leia mais sobre a F-1

A saída dos dois da escuderia foi confirmada em nota oficial publicada pela montadora. No documento, a Renault também afirma que não contestará a versão da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) sobre o caso.

Em depoimento à entidade, Nelsinho deu detalhes do plano de programar um acidente para ajudar o companheiro de equipe Fernando Alonso. A tática deu certo, e o espanhol beneficiou-se da entrada do safety car após a batida do brasileiro e acabou vencendo a prova.

A Renault afirmou, também, que só voltará a se manifestar sobre o caso no julgamento do Conselho Mundial da FIA, na segunda-feira, em Paris. Espera-se que, com a saída de Briatore e Symonds, principais envolvidos no caso, a equipe possa escapar de uma punição severa. Ainda assim, existe a possibilidade de a equipe ser até banida do Mundial.

Em sua nota, a montadora não explicita se Briatore e Symonds pediram demissão ou foram afastados diante das evidências, que incluem depoimentos, dados de telemetria e conversas de rádio. De qualquer maneira, o episódio deve encerrar de forma melancólica as carreiras vitoriosas - e controversas - de ambos na Fórmula 1.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.