Divulgação
Divulgação

Renault afirma ter resolvido problemas no motor das equipes da Fórmula 1

Empresa francesa promete melhorias para próximos testes e solução do superaquecimento

O Estado de S. Paulo

14 de fevereiro de 2014 | 16h42

SÃO PAULO - Depois de decepcionar na primeira bateria de testes da pré-temporada da Fórmula 1, os carros com motores Renault vão apresentar melhorar significativas para a segunda etapa de testes, a partir do dia 19, no Bahrein. A promessa é do diretor de operações da empresa, Remi Taffin, que disse nesta sexta-feira ter trabalhado bastante nas últimas semanas para solucionar os problemas eletrônicos do motor.

"Trabalhamos no dinamômetro e em pista com a Toro Rosso, e tudo correu como esperávamos. Estamos confiantes", disse Taffin. "A maior parte dos problemas que as equipes encontraram durante os testes tiveram as mesmas origens, mas alguns foram específicos de cada chassis e ligados à instalação dos diversos sistemas nos três carros", acrescentou.

Em janeiro, em Jerez de la Frontera, na Espanha, as equipes com motor Renault mal conseguiram ir para a pista, com problemas de superaquecimento. A campeã nos últimos quatro campeonatos, a Red Bull, conseguiu dar somente 21 voltas em quatro dias. O problema atingiu também a Toro Rosso e Caterham. Todas não conseguiram dar mais do que cinco voltas consecutivas na pista. A Lotus também usa motores da empresa francesa, mas não participou dos testes.

Segundo Taffin, no Bahrein o problema não vai se repetir. "A primeira falha encontrada foi no armazenamento de energia. Fizemos ajustes, testamos e filmamos tudo durante dois dias. O resultado foi como o esperado", explicou. Outro problema foi nos programas de computador da empresa, que segundo o diretor, também está resolvido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.