Renault ainda paga por problemas aerodinâmicos de 2007 na F-1

Equipe francesa não consegue melhorar o carro e começa temporada 2008 com muitos problemas

Alan Baldwin, Reuters

31 de março de 2008 | 15h42

A Renault ainda paga o preço por problemas de aerodinâmica da temporada passada da Fórmula 1, disse o engenheiro-chefe da escuderia francesa, Pat Symonds, nesta segunda-feira.   Veja também:  Blog do Livio Oricchio: notícias e bastidores da F-1  Classificação do Mundial"No fim das contas há uma área que é mais dominante em termos de performance e isso é o pacote aerodinâmico do carro", disse Symonds antes do Grande Prêmio do Bahrein, no próximo domingo, o terceiro da temporada. "No ano passado, nossa performance aerodinâmica não foi o que acreditávamos que iria ser, e isso aconteceu devido a um problema específico de correlação entre o túnel de vento e o carro." "Neste ano a correlação é perfeitamente razoável, mas nossa performance aerodinâmica não está aonde queremos que esteja, e acredito que isso seja porque ainda estamos sofrendo pelo tempo de desenvolvimento que perdemos enquanto estávamos trabalhando na correlação", acrescentou Symonds. "Tentamos desesperadamente tirar o atraso começando a trabalhar no carro de 2008 antes, mas claramente nós não conseguimos tirar todo o atraso necessário." A Renault não venceu nenhuma prova no ano passado, conseguindo apenas um lugar ao pódio durante toda a temporada, depois de ter dominado as duas temporadas anteriores com o espanhol Fernando Alonso. O bicampeão mundial retornou à equipe francesa depois de uma temporada infeliz na McLaren e terminou em quarto lugar na abertura da temporada, na Austrália, e em oitavo na Malásia. Para Alonso, o oitavo lugar era o máximo que poderia ser alcançado na última corrida. "Nós sabemos que o nível da performance no momento não está no nível das equipes líderes, mas estamos trabalhando duro para ir para frente e superar este problema", disse o espanhol. "Não sabemos exatamente aonde estamos, mas sabemos que estamos atrás da Ferrari, da McLaren e da BMW", acrescentou Alonso. "Mas marcamos pontos nas primeiras duas corridas, e acho que é nisso que devemos nos focar neste fim de semana no Bahrein." O companheiro de Alonso na Renault, Nelsinho Piquet, ainda não marcou pontos na temporada.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1Renault

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.