Andrej Isakovic / AFP
Andrej Isakovic / AFP

Renault diz estar em conversações com a FIA para Alonso testar carro em Abu Dabi

Espanhol, que voltará à Fórmula 1 em 2021, teria possibilidade de assumir vaga já em dezembro deste ano

Redação, O Estado de S.Paulo

15 de setembro de 2020 | 09h15

A Renault afirmou que está em conversações com a Federação Internacional de Automobilismo (FIA, na sigla em francês) para obter uma autorização para colocar o piloto espanhol Fernando Alonso, que voltará à Fórmula 1 em 2021, no teste de pós-temporada no circuito de Yas Marina, em Abu Dabi, nos Emirados Árabes Unidos, em dezembro deste ano.

Cyril Abiteboul, chefe de equipe da Renault, confirmou que pensa em contar com Alonso no teste que será realizado dias após a última etapa da temporada de 2020, marcada para 13 de dezembro. “Tenho a sensação de que ele (Alonso) está ansioso por estar no carro atual. Portanto, estamos estudando a oportunidade de fazer isso. Não vai ser num treino livre porque ele não precisa disso. Mas gostaríamos de vê-lo no carro”, disse.

Como Alonso não vai ter uma oportunidade em um algum treino livre das oito provas restantes do calendário de 2020, ele terá o teste de pós-temporada. Para este ano, devido à pandemia do novo coronavírus, as regras foram alteradas com esse treino especial reduzido para apenas um dia.

Neste teste, o regulamento fala da utilização de pilotos em início de carreira ou que ainda não participaram de alguma prova da categoria, o que não é o caso de Alonso, de 39 anos e bicampeão mundial pela própria Renault em 2005 e 2006. “Salvo a aprovação da FIA em contrário, os pilotos que participam não podem ter competido em mais de duas corridas do Mundial de Fórmula 1 durante a sua carreira”, diz a entidade.

Ou seja, a equipe francesa tem de obter uma autorização da FIA se quiser colocar Alonso em um carro em Abu Dabi. E isso já está sendo discutido, segundo Cyril Abiteboul: “Já estamos falando com a FIA sobre isso”, resumiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.