Arquivo/AE
Arquivo/AE

Renault e McLaren ameaçam boicotar Austrália, diz jornal

Escuderias estão descontentes com relacionamento comercial com o chefão da Fórmula 1, Bernie Ecclestone

EFE

24 de março de 2009 | 16h28

 LONDRES - O chefe da escuderia Renault, Flavio Briatore, e Ron Dennis, da McLaren, ameaçaram boicotar o Grande Prêmio da Austrália de Fórmula 1 que será realizado no próximo fim de semana, em Melbourne, informa nesta terça-feira o jornal britânico The Times.

Veja também:

especialConfira o calendário (com horários) da temporada 2009

video TV ESTADÃO: O que esperar do começo da disputa?

especialEspecial: jogue o Desafio dos Pilotos

Segundo o jornal, o chefão da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, teve certos desacordos econômicos com os dois chefes de escuderia que levaram à ameaça dos mesmos de não enviar seus carros à Austrália, a menos que o britânico cedesse em algumas exigências.

Ecclestone afirma ao jornal que Briatore foi o primeiro a gerar esse conflito, com a intenção de não ir a Melbourne. "Ele [Briatore] começou tudo, ajudado por Ron Dennis", disse Ecclestone.

Com os dois chefes de escuderia ameaçando também envolver a Associação de Equipes de Fórmula 1 [Fota, em inglês], Ecclestone afirma que chegou a pensar no cancelamento dos aviões que levariam os carros à Austrália.

"Peguei o telefone para ligar a nosso pessoal e pedir que cancelassem os aviões", disse Ecclestone, acrescentando que "custa uma fortuna alugar esses aviões e quase tanto cancelar tudo".

Finalmente, todos os automóveis chegaram a Melbourne esta semana para disputar a corrida de domingo, que abre a temporada da Fórmula 1. Apesar disso, ainda existe a possibilidade de boicote, não só por parte de McLaren e Renault, mas de todas as escuderias, caso um acordo não seja realizado o quanto antes, deixando o GP da Austrália sob ameaça.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.