Renault lança novo carro e sonha alto

Nada mais coerente: a equipe Renault lançar o modelo RS24 no belíssimo Teatro Massimo, de Palermo, Sicília, Itália. O carro é o resultado de tantos estudos profundos nas áreas de aerodinâmica, mecânica e eletrônica, facilmente comprovados pelas sofisticadas soluções adotadas, que não está distante de uma obra de arte. De engenharia, é verdade, mas obra de arte. "Nosso objetivo é claro, ou seja, deixar para trás uma das três grandes, Ferrari, Williams e McLaren, e assumir a terceira colocação entre os construtores", afirmou nesta quinta-feira Patrick Faure, diretor do programa de F-1 da Renault.A equipe francesa viajou de um extremo a outro de 2003 para cá. Ano passado, possuía o motor mais "largo" da Fórmula 1, com as duas bancadas de cilindros dispostas num ângulo de 111 graus. E nesta temporada acabou adotando o motor mais "estreito" de todos, com 72 graus. O resultado dessa opção forçada da Renault é visível no modelo apresentado nesta quarta: todo o conjunto traseiro foi totalmente repensado.Com um motor mais estreito, os projetistas Dino Toso, Tim Densham e Mark Smith desenharam a traseira mais estreita da Fórmula 1, com detalhes bastante originais e requintados na aerodinâmica que sugerem um carro bastante veloz. Como os novos McLaren e Williams, o RS24 representa um corte com o passado, ao contrário da Ferrari, que preferiu ser conservadora no F2004.A mudança no regulamento este ano, impondo o uso de um único motor para todo o fim de semana, obrigou o time coordenado por Flavio Briatore a interromper o revolucionário projeto de motor largo."Tivemos de nos decidir por um V-10 que fosse mais confiável e a opção mais lógica era a de recuperarmos os motores que já possuíamos (72 graus) e os atualizarmos", explicou Briatore. Mas se o RS24 perdeu um pouco com a solução, por ter o seu centro de gravidade elevado em cerca de 2 cm, por outro lado o motor, agora, está respondendo com mais potência. "A diferença, por enquanto, é pequena, mas é um motor mais fácil de se guiar. Quando vier a nossa versão, em Ímola, daremos um salto de potência também", comentou a estrela da Renault, Fernando Alonso, vencedor do GP da Hungria, em 2003.Além do programa de desenvolvimento do V-10 a 72 graus, os franceses têm já em estudos em Viry-Châtillon, ao sul de Paris, um motor a 90 graus, como o atual da Ferrari, Williams-BMW e McLaren-Mercedes."Quando vim para a Renault estabeleci algumas metas, como a de colocar o time entre os quatro primeiros ano passado, o que conseguimos, ser terceiro este ano e disputarmos o título em 2005. Mantenho todas elas", falou Briatore durante o simples mas de fino gosto lançamento do R24.Michael Schumacher viu o carro em Barcelona, semana passada, onde já no quarto dia de pista Alonso registrou 1min15s433, terceiro melhor dos treinos em geral. Schumacher fez 1min15s410, segundo. Depois o alemão afirmou: "Acho que não serão apenas três equipes a lutar pelo título; podem ser quatro." O povo siciliano, que até o início dos anos 70 assistia de perto a uma prova de Esporte-Protótipos pelas ruas da ilha, a famosa Targa-Florio, vibrou com as voltas pela praça Castelnuovo realizadas por Jarno Trulli e Fernando Alonso com o carro do ano passado, mas que todos pensaram fosse o apresentado nesta quinta-feira. Num evento muito bem organizado, mais de 10 mil pessoas, sob frio intenso, expressaram-se bem à italiana a cada demonstração de capacidade de aceleração do carro e habilidade dos pilotos: "Madonna (Nossa Senhora)", "Dio Mio (Meu Deus)", "Che partenza (Como larga)", "Mamma mia (Minha mãe)", "Che matto (Que louco)." O R24 irá para as pistas, a fim de provar o que se espera dele, de terça a quinta-feira em Barcelona.

Agencia Estado,

29 de janeiro de 2004 | 14h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.