Renault troca Button por Alonso

Era já esperado: a Renault confirmou neste sábado que o jovem espanhol Fernando Alonso, que dia 29 completará 21 anos, é o seu novo piloto. Hoje ele trabalha como piloto de testes da equipe. Alonso, tido como um grande talento, substituirá o inglês Jenson Button, curiosamente também considerado um superpiloto, mas que acabou dispensado da Williams, no fim de 2000, e agora da Renault.Poucos anúncios de contratações foram tão contestados pela imprensa, em especial a inglesa, quanto a de Alonso pela Renault. Não faltaram acusações explícitas ao diretor geral da equipe, o italiano Flavio Briatore. Ele é o manager das carreiras do próprio Fernando Alonso e do outro titular, Jarno Trulli. Briatore é, portanto, parte interessada diretamente no sucesso de seus pilotos. O italiano tentou ser político, sem convencer ninguém: "Button fez e está realizando um grande trabalho conosco, tenho certeza de que irá se dar bem em outro time também." O que muita gente se pergunta é como uma montadora como a Renault pode dar tanto poder a uma única pessoa. O clima ficou tão tenso que quando perguntaram a Button, depois do anúncio, como ele justificava sua dispensa, respondeu com raiva: "Não sei, é um problema deles." Button sempre comportou-se com elegância com os jornalistas e nunca deixou de ser espontâneo, como quando lhe perguntaram o que ele achava de Michael Schumacher: "Ele está para ser campeão, não?, me parece que é o quarto título..." O piloto de 22 anos não esconde sua indiferença a algumas informações básicas e que são notícia no dia-a-dia, como o fato de o GP da França poder dar a Schumacher seu quinto título.A carreira de Button começou a cair em desgraça em maio do ano passado, quando ancorou na vaga ao lado do paddock da Fórmula 1, em Mônaco, um iate recém-adquirido. Um ano e meio antes ele ainda comprava ingressos, "dos mais baratos", como já lembrou, para assistir ao GP da Grã-Bretanha, em Silverstone. Sua temporada espetacular em 2000, a de estréia na Fórmula 1, o tornou garoto-propaganda favorito dos ingleses, carentes de um grande piloto. Ganhou dinheiro rápido e acabou por perder-se emocionalmente.Frank Williams chegou a lhe proibir de usar nos autódromos, além de orientá-lo a vender, uma Ferrari que ele comprou ainda em 2000, quando competia para a Williams. O futuro de Button agora está sendo relacionado à Jaguar, embora nos últimos dias as negociações com a Toyota e até a Sauber tenham crescido. Quanto a Fernando Alonso, apesar de estar realizando um bom trabalho como piloto de testes da Renault, ninguém, a não ser a imaginação de Briatore, tem certeza do que ele fará na Fórmula 1. Com todas as críticas a Button, a maioria procedente, o inglês ainda fez mais pontos (10 a 4) que Jarno Trulli, o outro piloto da Renault.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.