Renato Mafra/Divulgação
Renato Mafra/Divulgação

Repórter vira mecânico por um dia na Stock Car e 'ajuda' em dobradinha na 1ª fila

'Estado' participa de bastidores na categoria com atuação em equipe que dominou treinos para a Corrida do Milhão

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

24 de agosto de 2019 | 14h40

Ferramentas, tambores de combustível, pneus e números em vez do computador e do gravador. A reportagem do Estado mudou de função e trabalhou na equipe de mecânicos da Eurofarma na Stock Car neste sábado, nos treinos para a Corrida do Milhão, em Interlagos. O funcionário novato terminou a jornada com fama de pé quente, pois a escuderia colocou os pilotos na 1ª, 2ª e 4ª posições, com, respectivamente, Lucas di Grassi, Ricardo Maurício e Daniel Serra. A largada será neste domingo, às 11h30.

O dia começou logo cedo, por volta das 8h, com chuva fina e frio no autódromo. O piloto Ricardo Maurício é quem deu as boas-vindas. "Daqui a pouco já vamos colocar você para trabalhar", brincou. Com a camisa amarela do uniforme da equipe, coube ao mecânico estreante a missão de carregar um termômetro e ficar atento às saídas dos boxes de cada um dos três carros da equipe.

A ordem era anotar a temperatura e o horário de cada uma das idas das pilotos para a pista. As informações foram importantes para ajudar os engenheiros a definirem a melhor pressão para os pneus, assim como acompanhar a evolução da situação do asfalto após uma madrugada fria e úmida em São Paulo. 

Ao fim dos treinos livres, os pilotos repassaram à equipe a avaliação do carro, com detalhes sobre a reação do carro a cada um dos trechos dos mais de 4 km de extensão do circuito. Ao mesmo tempo, os funcionários tinham de realizar alguns ajustes. Coube ao mecânico convidado iniciar a parte mais braçal da jornada.

A missão foi auxiliar a esvaziar os tanques de combustível do carro e transportar o conteúdo para tambores de metal. Outra tarefa consistiu em recolher sacos de areia de 10 kg cada um guardados dentro do veículo para simular o peso do piloto.  Os dois trabalhos serviram para ajudar os verdadeiros técnicos especialistas a mexerem nos motores e na aerodinâmica para a sessão classificatória.

Enquanto os carros iam para a pista, o novato separou as ferramentas da Eurofarma em gavetas, sem misturar. Depois de lidar com chaves de fenda, soquetes e alicates, as atenções se voltaram novamente à medição da temperatura e os tempos do treino decisivo. Todos os integrantes da equipe estavam apreensivos e acompanhavam as imagens com a tensão de quem acelerava e freava junto com os pilotos em cada um dos trechos.

A manhã de trabalho terminou com o ritual de integração à equipe. Como Lucas di Grassi, piloto da equipe marcou a pole position, quem estava nos boxes teve de recebê-lo com festa após o fim do treino. O mecânico novato participou da recepção. Ao fim do trabalho, o estreante recebeu os cumprimentos pela tarefa e como foi embora com a fama de pé quente, ouviu um convite na despedida: "Vai trabalhar com a gente na corrida?".

Tudo o que sabemos sobre:
automobilismoStock Car

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.