Reunião na quarta-feira decidirá futuro de Vitaly Petrov na Lotus

Russo disputa com Bruno Senna um lugar na equipe no ano que vem

ALAN BALDWIN, REUTERS

29 de novembro de 2011 | 16h56

LONDRES - O futuro do piloto russo da Fórmula 1, Vitaly Petrov, ficou em aberto nesta terça-feira, depois que a Lotus anunciou que o campeão de 2007 Kimi Raikkonen, da Finlândia, correrá para eles no ano que vem. Ele tem contrato para 2012 com a Renault, que mudará seu nome para Lotus no ano que vem, mas sua empresária, Oksana Kossatchenko, disse que a situação não está clara.   "Tenho uma reunião amanhã de manhã para decidir o que faremos, se ficamos ou não", afirmou. "Acho que encontraremos uma solução e depois teremos alguns dias para resolvê-la. Gostaríamos de saber o plano da equipe antes de confirmar nossa presença nela", disse Kossatchenko.

Embora a equipe tenha dito que Raikkonen assinou um acordo por dois anos - trazendo-o de volta à Fórmula 1 após dois anos participando do Mundial de Rali -, ela não esclareceu quem será seu parceiro de equipe.

O francês Romain Grosjean, campeão do GP2 este ano, era considerado o principal concorrente para o posto ocupado agora por Raikkonen, mas ainda pode estar na jogada para ser o número dois da equipe.

O brasileiro Bruno Senna, que pilotou nas últimas oito corridas deste ano depois da saída do alemão Nick Heidfeld, seria outra possibilidade. Ele está escalado para a equipe para um evento na Europa e por isto teve de cancelar sua presença no Desafio das Estrelas de kart, que acontece neste final de semana.

Kossatchenko disse que a equipe queria "fazer a análise do ano e depois decidir se podemos colaborar e avançar juntos ou se é melhor para nós separarmos".

"Gostaria de ficar com o que temos no momento; então, a melhor opção é manter Vitaly na Lotus para o ano que vem", afirmou ela, acrescentando que ela também tem um "Plano B e um Plano C".

Petrov terminou a temporada em 10o lugar geral com 37 pontos, enquanto a equipe terminou em quinto entre os construtores, com 73.

O chefe da equipe Renault, Eric Boullier, disse ao site autosport.com que todos os cenários são possíveis e que o polonês Robert Kubica, que ficou de fora da temporada de 2011 por causa de uma lesão, também permanece no páreo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.