Reynard ainda persegue a Lola na Indy

A Reynard preparou um novo chassis para tentar diminuir a vantagem que a Lola, sua concorrente na Fórmula Indy, tem tido nos circuitos ovais. Mas não teve muito sucesso no treino livre de hoje para o GP de Milwaukee, quinta etapa da temporada. O qualifying define o grid amanhã, às 15h30. E a prova, com transmissão da Record e da DirecTV, terá largada domingo, às 17h (ambos no horário de Brasília). O mais rápido hoje foi Hélio Castro Neves, que no último domingo viveu o grande momento de sua carreira ao vencer as 500 Milhas de Indianápolis. O Penske de Helinho tem chassis Reynard, mas é um caso à parte, já que a própria equipe o prepara. Entre as demais equipes, que usam o chassis do jeito que o recebem, a Mo Nunn foi a que obteve o melhor resultado (Tony Kanaan em quarto e Alex Zanardi em quinto). O brasileiro Tony diz ter ficado impressionado com a melhora desde a etapa de Nazareth, última prova disputada em oval curto, como é o de Milwaukee, que tem uma milha. "Mas a Lola ainda está na frente", admite Tony, que explica o trabalho do engenheiro Gary Anderson, o mesmo que trabalhou com Rubens Barrichello na Fórmula 1 na época da equipe Jordan: "A diferença é no desenho na parte inferior do carro, que muda a entrada de ar." A luta da Reynard é para aumentar o que no meio se chama de ´downforce´, ou seja, a pressão aerodinâmica, a possibilidade de manter o carro preso ao chão e longe do muro de proteção. Zanardi acha que a Reynard ainda tem muito a melhorar. E parece ser verdade, a menos que queira continuar vendo os Lolas na frente. Hoje, atrás de Helinho (22s300, com Reynard/Honda), vieram Cristiano da Matta, da Newman Haas (22s463, com Lola/Toyota), e Kenny Brack, da Rahal (22s535, com Lola/Ford). Tony e Zanardi (Reynard/Honda) fizeram, respectivamente, 22s547 e 22s647.

Agencia Estado,

01 de junho de 2001 | 19h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.