Fernando Bizerra Jr/EFE
Fernando Bizerra Jr/EFE

Ricciardo revela problema na viseira durante GP do Brasil

Piloto teve dificuldades para enxergar a pista por causa da chuva

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

14 de novembro de 2016 | 15h35

O australiano Daniel Ricciardo, da Red Bull, sofreu com um estranho problema durante o GP do Brasil de Fórmula 1, no domingo. No caminho até finalizar a corrida na oitava colocação, o piloto contou que teve dificuldades com a viseira do capacete, que ficou embaçada. O problema foi causado pela chuva forte ao longo de toda a prova no Autódromo de Interlagos, em São Paulo.

Ricciardo largou em 6º, chegou a andar em 13º e teve de parar cinco vezes nos boxes para a troca de pneus. "Nós não tivemos sorte na estratégia. Sempre que fazíamos alguma mudança com os pneus, vinha a bandeira vermelha ou o safety car na pista. Obviamente, perdemos posições porque não tinha como prever o que ia se passar com a corrida", comentou.

Nas entrevistas após a corrida, que durou mais de 3h e teve duas paralisações pela chuva, quase todos os pilotos lamentaram o mau tempo. Ricciardo foi um dos poucos a ter comentário diferente. "A grande dificuldade foi a minha visibilidade. Foi difícil não ficar com a viseira do capacete embaçada. Eu tentei abrir a viseira algumas vezes para ajudar, mas não deu. E isso me atrapalhou", contou.

O australiano disse que tinha potencial para chegar em posição melhor e afirmou que de tão ruim a visibilidade, mal conseguiu ver que colidiu com Kimi Raikkonen após o finlandês ter batido no muro da reta dos boxes.

"Só soube que eu quase atingi o Kimi quando parei nos boxes e vi o replay. Apesar de tantos acidentes, pelo menos todo mundo escapou sem ferimentos", disse. Foram quatro fortes batidas durante a prova, todas por aquaplanagem na região da reta dos boxes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.