Reprodução/Instagram
Reprodução/Instagram

Rival nas pistas, Emerson Fittipaldi lamenta morte de Lauda: 'Foi um Gladiador'

Bicampeão mundial elogia carreira de austríaco, contra quem batalhou na Fórmula1 na década de 1970

Redação, Estadão Conteúdo

21 de maio de 2019 | 11h50
Atualizado 21 de maio de 2019 | 14h43

Uma das lendas do automobilismo mundial, o austríaco Niki Lauda morreu aos 70 anos na segunda-feira por causa de complicações renais. Nesta terça, outra grande figura das pistas lamentou a perda do ex-piloto, campeão da Fórmula 1 em 1975, 1977 e 1984. Em suas redes sociais, o brasileiro Emerson Fittipaldi prestou uma homenagem a um de seus maiores rivais nos circuitos pelo mundo na década de 1970.

"Querido Niki, você tinha muito talento, duro nas disputas, mas sempre leal. Você, supercampeão, sua história inspirou minha família, meu filho Emmo, meus netos Pietro e Enzo. Você me inspirou quando, com tanta coragem e determinação, já voltou em Monza. Niki mais que campeão, você foi um GLADIADOR. Minhas sinceras condolências à toda sua família. Descanse em paz DEUS ABENÇOE", disse o brasileiro em uma postagem no Instagram.

Lauda vinha sofrendo com problemas de saúde há pelo menos um ano. Em agosto de 2018, chegou a ser submetido a um transplante de pulmão, em Viena, na Áustria, e passou cerca de três meses internado.

Nos últimos anos, ele vinha exercendo a função de presidente de honra da equipe Mercedes, que vem dominando a Fórmula 1 nos últimos anos. Lauda atuava quase como um conselheiro de luxo, próximo ao chefe de equipe Toto Wolff e aos pilotos, o inglês Lewis Hamilton e o finlandês Valtteri Bottas. O austríaco também era presidente do Conselho de Supervisão da escuderia desde setembro de 2012.

O irmão de Emerson, Wilson Fittipaldi, gravou um depoimento para homenagear Lauda. O austríaco guiou em 1969 pela Fórmula Vee, categoria da qual Wilson é fundador. "Nunca corremos na mesma equipe mas tínhamos uma boa amizade", afirma Wilsinho, que agora, aos 75 anos, está de volta à Fórmula Vee como consultor técnico e instrutor de jovens pilotos. "Sempre que possível, na sexta-feira do fim de semana de provas, saíamos para jantar".  

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Querido Niki você tinha muito talento, duro nas disputas , mas sempre leal, voce super campeão, sua história inspirou minha familia , meu filho Emmo , meus netos Pietro e Enzo você me inspirou quando com tanta coragem e determinação já voltou em Monza. Niki mais que Campeao você foi um GLADIADOR . Minhas sinceras condolências à toda sua família. Descance em paz DEUS ABENÇOE. Dear Niki you had so much talent, very tough to race against you , but always clean , Super Champion, your history inspire my family my son Emmo and my grandchildrens Pietro and Enzo and you inspire myself when you come back to race in Monza with so much courage and determination you are a GLADIATOR. My sincerely condolences to all your family, Rest In Peace GOD BLESS @f1 #racer #friend #friendships

Uma publicação compartilhada por Emerson Fittipaldi (@emersonfittipaldioficial) em

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.