Brandon Malone
Brandon Malone

Ron Dennis admite ter mentido sobre acidente de Fernando Alonso

Diretor da McLaren havia dito que piloto não sofrera concussão

Estadão Conteúdo

11 Março 2015 | 15h42

Ron Dennis mentiu. E confessou. Ele admitiu ter "errado'' ao negar que Fernando Alonso sofreu uma concussão ao bater forte com a McLaren durante treino de pré-temporada em Barcelona. A negativa do CEO da equipe se contrapôs à posição dos médicos que atenderam o espanhol. Alonso está fora do GP da Austrália, prova inaugural da temporada de Fórmula 1, no Domingo.

Dennis se desculpou com os jornalistas, ao fazer o mea-culpa."Não foi das minhas melhores performances'', disse. "Entendo o motivo de a imprensa me criticar, pois não fui preciso. Meu objetivo é tentar ser o mais honesto possível no futuro'', assegurou.

Alonso sofreu o acidente em 22 de fevereiro e teve de ser hospitalizado. Só foi liberado após quatro dia de internação. Foi proibido pelos médicos de correr na Austrália por causa do temor da "Síndrome do segundo impacto'', que pode ter graves consequências no cérebro.

 Inicialmente, porém, Ron Dennis afirmou que não haveria motivos para o piloto espanhol não ir à pista na Austrália - a prova marcaria seu retorno à McLaren. Agora, se retratou e reconheceu ter opinado sobre um tema que não domina. "Há muitas complexidades em relação à concussão. É difícil quantificar, vai além da minha área de atuação.''

Em Melbourne, Alonso será substituído por Kevin Magnussen, mas durante esta semana informou, por meio das redes sociais, estar se preparando fisicamente para voltar no GP da Malásia, dia 29 de março. Dennis acredita nessa possibilidade. "Fernando estará na Malásia. Falei com ele e tenho todos os motivos para acreditar que estará lá'', disse. Mas, desta vez, ponderou. "Mas a decisão é dele, não minha.''

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.