Reuters
Reuters

Ron Dennis assume direção executiva do Grupo McLaren

Lendário dirigente vai substituir Martin Whitmarsh, atual chefe da equipe

Agência Estado

17 de janeiro de 2014 | 11h52

WOKING - Ron Dennis, que foi chefe da equipe McLaren por mais de 25 anos, reassumiu o cargo de diretor executivo do Grupo McLaren. Assim, o lendário dirigente vai substituir Martin Whitmarsh, atual chefe da equipe, reforçando a possibilidade de novas mudanças organizacionais acontecerem antes do início da temporada 2014 da Fórmula 1.

Dennis, presidente do Grupo McLaren desde 2013, exerceu a função de diretor executivo entre 1982 e 2012 e também foi chefe da equipe de 1982 até 2009, sendo sucedido em ambas as funções por Whitmarsh. "Meus companheiros acionistas me encarregaram de escrever um excitante novo capítulo da história da McLaren, começando por melhorar o nosso desempenho na pista", disse.

"Nas próximas semanas pretendo empreender uma revisão completa e objetiva de cada um dos nossos negócios, com a intenção de otimizar todos os aspectos de nossas operações já existentes, enquanto identificamos novas áreas de crescimento que capitalizam as nossas tecnologias, e onde será mais apropriado investir".

O dirigente admitiu que a McLaren pode passar por mudanças nos próximos meses ao declarar que planeja revelar um nova estratégia para o grupo em fevereiro e "implementar a estrutura organizacional mais adequada para alcançá-la".

As mudanças podem ocorrer após uma desastrosa temporada da McLaren, que não subiu ao pódio em nenhuma corrida, o que não acontecia desde 1980. O carro da equipe para o campeonato de 2014, o MP4-29, será apresentado pela internet no dia 24 de janeiro. Será o último McLaren com motor Mercedes, antes do retorno da Honda em 2015.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1McLarenRon Dennisvelocidade

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.