Boris Horvat/ AFP
Boris Horvat/ AFP

Rosberg aproveita erro de estratégia e triunfa no GP de Mônaco

Equipe erra em parada de Hamilton e é o terceiro; Nasr é nono

Estadão Conteúdo

24 de maio de 2015 | 11h29

O alemão Nico Rosberg fez uma prova segura, contou com o erro de estratégia de seu companheiro de Mercedes, Lewis Hamilton, e venceu o GP de Mônaco de Fórmula 1, neste domingo. No tradicional circuito de Montecarlo, Rosberg superou os poucos pontos de ultrapassagem com um planejamento bem feito e levou a melhor mesmo depois de ter largado na segunda posição.

O erro de Hamilton e seus engenheiros foi fatal para o inglês. Ele decidiu fazer duas paradas, uma a mais que seus concorrentes, e perdeu a primeira colocação, que parecia garantida. Aliás, perdeu também o segundo lugar, que ficou com o alemão Sebastian Vettel, e teve que se contentar com o terceiro degrau no pódio.

Esta foi apenas a primeira vez que Hamilton não terminou entre os dois primeiros colocados. A terceira posição diminuiu a vantagem do inglês na liderança do Mundial de Pilotos, agora com 126 pontos, somente 10 à frente de Rosberg. Vettel, por sua vez, mostrou mais uma vez ser o único capaz de ameaçar a hegemonia da Mercedes e subiu para 98 pontos, em terceiro.

Quem também pôde comemorar um bom resultado neste domingo foi o brasileiro Felipe Nasr. Depois de ter largado em 14.º, o piloto da Sauber fez ótima prova em sua estreia em Montecarlo e terminou em nono. Felipe Massa, da Williams, por sua vez, confirmou o prognóstico pessimista para o fim de semana em Mônaco e foi o 15.º.

A terceira vitória consecutiva de Rosberg em Montecarlo deve azedar ainda mais a já turbulenta relação dele com Hamilton. O grave erro cometido pela Mercedes desagradou claramente o inglês, que mal cumprimentou o companheiro no pódio. O jeito, para os engenheiros da equipe, foi pedir "desculpas" ao atual campeão mundial através do rádio.

A PROVA

Tendo em vista a dificuldade de se ultrapassar em Mônaco, a largada poderia ser fundamental para o resultado final. E, por isso, os pilotos fizeram questão de ir com tudo para cima. Na pole, Hamilton não teve qualquer dificuldade para manter sua posição.

Mas a briga pela segunda colocação esquentou. Vettel atacou Rosberg, que se defendeu bem e quase fez o tetracampeão parar no muro. Nico Hulkenberg bateu e foi para os boxes. O brasileiro Felipe Massa deu sequência ao péssimo momento no fim de semana, teve problemas no bico e também precisou parar.

Os abandonos de Pastor Maldonado e Fernando Alonso, que estava perto de pontuar com sua McLaren pela primeira vez, ajudaram Felipe Nasr. O brasileiro, que já fazia boa prova desde a largada, herdou a nona colocação, que manteve sem maiores problemas até a bandeirada final.

A prova, aliás, transcorria sem nenhuma grande emoção até que Max Verstappen bateu forte ao tentar uma ultrapassagem perigosa sobre Romain Grosjean, a 14 voltas para o fim. O choque obrigou o Safety Car a entrar e, a partir daí, tudo mudou.

Acreditando que Hamilton tinha vantagem suficiente para parar e voltar na frente, a Mercedes chamou o inglês para os boxes, para colocar os pneus supermacios, que lhe dariam ainda mais tranquilidade para manter a liderança. Só que isso não aconteceu, e o piloto voltou atrás de Rosberg e Vettel.

Furioso e com pneus novos, Hamilton partiu para o ataque sobre Vettel, mas aí o alemão mostrou toda sua qualidade de tetracampeão mundial e fechou o caminho do adversário. A briga durou até o fim da prova, e contou ainda com uma breve aparição de Daniel Ricciardo, que tentou uma investida final, mas nada foi alterado.

Enquanto Vettel e Hamilton duelavam duramente e perdiam tempo na briga pela segunda colocação, Rosberg aproveitou para abrir vantagem. Bastante veloz no fim da prova - inclusive fez a volta mais rápida do dia nas últimas voltas -, o alemão não teve dificuldade para cruzar a linha de chegada em primeiro.

CONFIRA A CLASSIFICAÇÃO DO GP DE MÔNACO:

1.º Nico Rosberg (ALE/Mercedes) - 1h54min39

2.º Sebastian Vettel (ALE/Ferrari) - a 4s486

3.º Lewis Hamilton (GBR/Mercedes) - a 6s053

4.º Daniil Kvyat (RUS/Red Bull) - a 11s965

5.º Daniel Ricciardo (AUS/Red Bull) - a 13s608

6.º Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari) - a 14s345

7.º Sergio Perez (MEX/Force India) - a 15s013

8.º Jenson Button (GBR/McLaren) - a 16s063

9.º Felipe Nasr(BRA/Sauber) - a 23s626

10.º Carlos Sainz Jr (ESP/Toro Rosso) - a 25s056

11.º Nico Hulkenberg (ALE/Force India)- a 26s232

12.º Romain Grosjean (FRA/Lotus) - a 28s415

13.º Marcus Ericsson (SUE/Sauber) - a 31s159

14.º Valtteri Bottas(FIN/Williams) - a 45s789

15.º Felipe Massa (BRA/Williams) - a 1 volta

16.º Roberto Merhi (ESP/Marussia) - a 2 voltas

17.º Will Stevens (GBR/Marussia) - a 2 voltas

Não completaram:

Max Verstappen (HOL/Toro Rosso)

Fernando Alonso (ESP/McLaren)

Pastor Maldonado (VEN/Lotus)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.