Miguel Morenatti/AP
Miguel Morenatti/AP

Rosberg diz que tenta melhorar a respiração para superar Hamilton

Piloto alemão da Mercedes conta que tem procurado aperfeiçoar técnicas e tentar ganhar décimos de segundo sobre o adversário

Estadão Conteúdo

02 de fevereiro de 2015 | 13h17

Com o objetivo de superar o campeão do Mundial de Fórmula 1 e companheiro de Mercedes, Lewis Hamilton, Nico Rosberg revelou que está estudando até a sua respiração. O alemão perdeu o título de forma emocionante na temporada passada e quer encontrar os detalhes que pode melhorar.

Rosberg tem procurado aperfeiçoar novas técnicas de respiração, a fim de encontrar "1 ou 2%" que pode fazer toda a diferença neste ano. O alemão foi melhor do que Hamilton nos treinos de classificação, com 11 poles contra sete do britânico, mas o campeão dominou as corridas, com 11 vitórias diante das cinco do rival. 

Isso incomodou Rosberg, que está determinado a encontrar os detalhes que podem lhe dar uma vantagem. "Eu aprendi algumas coisas no inverno. Por exemplo, minha respiração era algo que poderia trabalhar, minha respiração no carro de corrida", explicou. "Porque quando passamos por curvas rápidas prendemos a respiração, porque nós temos muita Força G. É claro que eu quero lhe dar algumas ideias, mas não comprometer os meus segredos". 

O piloto alemão também intensificou seu regime de treinamento. "Para estar um pouco mais em forma no final das corridas", explicou Rosberg, de 29 anos. "Aquele 1 ou 2% que fazem a diferença no final". 

Hamilton superou Rosberg por 67 pontos, mas a diferença foi exagerada pela pontuação dobrada aplicada na última corrida da temporada passada. O alemão poderia ter conquistado o título, por exemplo, se ele tivesse vencido e o britânico ficado na terceira posição. Mas foi Hamilton quem ganhou o GP de Abu Dabi e Rosberg, com problemas na sua Mercedes, acabou em 14º lugar, fora da zona de pontuação.

Rosberg insistiu que não demorou muito para superar a decepção de perder o título. "A vida voltou ao normal para mim muito rapidamente, um ou dois dias depois", disse. "Eu estou sempre motivado, mas (neste momento) eu tenho um pouco mais, com essas memórias do ano passado. Eu sei o quão incrível é a sensação de ganhar corridas e como é ótima a sensação quando eu bato Lewis".

Tudo o que sabemos sobre:
velocidadeFórmula 1Nico Rosberg

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.