Rosberg é novamente o mais rápido em treinos da F1 no Bahrein

O alemão Nico Rosberg, que ainda não conseguiu transformar sua velocidade nos treinos numa posição melhor do que o sexto lugar em corridas neste ano, colocou a Williams na primeira colocação dos treinos livres para o Grande Prêmio do Bahrein de Fórmula 1 nesta sexta-feira.

ALAN BALDWIN, REUTERS

24 de abril de 2009 | 11h14

Nico, filho do campeão mundial de 1982, Keke Rosberg, obteve um tempo de 1min33s339 no circuito de Sakhir. Com esse resultado, o alemão foi o mais rápido em sete das 11 sessões de treino neste ano.

O bicampeão mundial Fernando Alonso, da Renault, foi o segundo mais rápido na sessão da tarde.

Entre os brasileiros, o vice-líder do Mundial, Rubens Barrichello, ficou em 9o lugar com a Brawn GP, enquanto Nelsinho Piquet, da Renault, foi o 15o, uma posição à frente de Felipe Massa, da Ferrari.

O atual campeão do mundo, Lewis Hamilton, superou os problemas da McLaren e foi o mais rápido na primeira sessão do dia. O britânico, que corre o risco de sofrer sérias punições em uma audiência em Paris na próxima semana, após polêmica sobre mentir para comissários no GP da Austrália, fez uma volta de 1min33s647.

Apenas Rosberg, Alonso e Jarno Trulli, da Toyota, foram mais rápidos do que ele na sessão da tarde.

Sebastian Vettel, da Red Bull, vencedor da última prova, na China, foi o quarto mais rápido na segunda sessão, à frente do seu companheiro de equipe, o australiano Mark Webber, e do líder do Mundial, Jenson Button, da Brawn GP.

A BMW-Sauber obteve um segundo e um terceiro lugares na sessão da manhã, com o alemão Nick Heidfeld à frente do polonês Robert Kubica.

Os três primeiros carros do primeiro treino eram equipados com o sistema de recuperação de energia cinética, o Kers, que oferece aos pilotos potência extra com o aperto de um botão. No Bahrein, espera-se que a peça faça bastante diferença. Entre os três primeiros da segunda sessão, apenas Alonso tinha o Kers.

Button, que venceu as duas primeiras provas da temporada e terminou na terceira posição na China, é visto como favorito para retornar ao topo do pódio, com a Brawn GP sendo mais competitiva em condições de calor na pista.

A McLaren, que alertou no começo da temporada que o carro estava um pouco distante de ser vencedor, trouxe um novo pacote para o Bahrein, em um esforço para diminuir a diferença em relação às melhores equipes do momento.

"Temos algumas modificações no assoalho, talvez um pouco mais de carga aerodinâmica, mas não muita," afirmou Heikki Kovalainen. "Não há nada grande para esta corrida. Acho que o próximo grande pacote deve vir na Espanha.

Tudo o que sabemos sobre:
FIBAHREINWILLIAMSROSBERG*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.