Divulgação/ Mercedes
Divulgação/ Mercedes

Rosberg explica aposentadoria e admite voltar a ser amigo de Hamilton

Ex-piloto alemão optou por deixar as pistas cinco dias após ganhar título da temporada

O Estado de S.Paulo

08 de dezembro de 2016 | 11h53

Após conquistar o título da Fórmula 1 este ano, Nico Rosberg pegou o mundo de surpresa ao anunciar sua aposentadoria cinco dias depois de chegar ao topo do automobilismo. Agora, como ex-piloto, o alemão disse que conseguiu chegar onde queria e admitiu a possibilidade de voltar a ser amigo de Lewis Hamilton.

"Agora posso voltar a ser amigo de Lewis novamente", disse o atual campeão da Fórmula 1. Rosberg e Hamilton criaram desavenças nesta temporada pelo fato de ambos brigarem pelo título. O campeonato só foi decidido na última prova, em Abu Dhabi, onde o piloto britânico ficou na 1ª posição, mas não impediu a conquista do companheiro de Mercedes, que chegou no 2º lugar na ocasião.

"Pensar que em Abu Dhabi qualquer erro mínimo teria me custado o título é terrível. Este foi o ponto”, explica Rosberg. Para o ex-piloto, a última corrida da temporada foi fundamental para tomar a decisão encerrar a carreira.

"Estou satisfeito por ter conseguido tudo o que eu sonhei. Minha esposa está feliz. Agora ela terá um marido realmente em casa. Os sacrifícios dela também foram essenciais", disse Rosberg sobre a decisão de se retirar das pistas. "É simples. Eu alcancei o topo do Everest na Fórmula 1 e foi justo dizer basta naquele momento", explicou.

Por mais que esteja aliviado com sua aposentadoria, a decisão de Rosberg não agradou a Nikki Lauda, diretor não-executivo da Mercedes, que criticou duramente a atitude do ex-piloto. "Demos a ele a oportunidade de ser campeão do mundo em um carro fantástico e então ele vem e nos diz que quer se aposentar. Isso criou um grande buraco na equipe e passou a impressão de que somos tolos", disse Lauda.

Rosberg respondeu às críticas nesta quarta-feira ao jornal Die Welt. "Eu não entendi os comentários de Niki. Acho que fui mal interpretado", disse. "Se só dependesse de mim, preferiria anunciar minha aposentadoria no Natal. Mas eu não podia fazer isso com a equipe", explicou sobre sua decisão.

"Vou me dedicar à minha família, que eu tenho visto pouco nestes anos, mas tenho muitos projetos. Eu tenho certeza que isso vai me divertir. Vou andar um pouco de kart e andar de bicicleta, mas por enquanto nada de carros de corrida. Só não vou vender sorvete em Ibiza", finalizou Rosberg.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.