Nelson Almeida/ AFP
Nelson Almeida/ AFP

Rosberg volta a vencer no Brasil e garante vice; Massa é eliminado

Alemão liderou GP de ponta a ponta; Hamilton chegou em 2º lugar

FELIPE ROSA MENDES, Estadão Conteúdo

15 de novembro de 2015 | 16h17

Atualizada às 18h30

Depois de largar na pole, Nico Rosberg fez uma grande corrida neste domingo no circuito de Interlagos, em São Paulo, e venceu pelo segundo ano consecutivo o GP do Brasil de Fórmula 1. De quebra, ele garantiu o vice-campeonato mundial ao chegar aos 297 pontos, pontuação que não pode mais ser alcançada por Sebastian Vettel, da Ferrari, que passou a contabilizar 266 ao terminar a prova brasileira em terceiro lugar.

Já o inglês Lewis Hamilton, que já havia garantido o tricampeonato por antecipação, terminou no segundo lugar e segue sem conseguir vencer em Interlagos em sua carreira na F1. Na pista onde conquistou o seu primeiro título mundial, em 2008, o piloto ampliou o seu jejum no Brasil, onde correu neste domingo exibindo em seu capacete o nome de Ayrton Senna, o seu grande ídolo no automobilismo.

Com o resultado deste domingo, Hamilton chegou aos 363 pontos na liderança. Felipe Massa terminou a corrida em oitavo lugar, mas acabou desclassificado pela FIA, após a investigação concluir que seus pneus estavam com maior temperatura e pressão do que o permitido.  Com isso o brasileiro complica a tentativa de alcançar a quarta posição do Mundial, seu último objetivo a buscar nesta reta final da temporada, que será fechada daqui a duas semanas com a disputa do GP de Abu Dabi.

Quem virou um sério candidato a conquistar este posto ao final do campeonato se tornou justamente o companheiro de equipe de Massa na Williams, o finlandês Valtteri Bottas, que terminou a corrida em São Paulo em quinto lugar e assumiu a quarta posição do Mundial, com 136 pontos. Ele ficou apenas um à frente do seu compatriota Kimi Raikkonen, da Ferrari, este quarto colocado do GP do Brasil neste domingo.

O bom resultado de Bottas na capital paulista assegurou à Williams o terceiro lugar do Mundial de Construtores, cujo título foi conquistado com bastante folga pela Mercedes, enquanto a Ferrari foi a vice-campeã desta disputa paralela ao Mundial de Pilotos.

Atrás de Rosberg, Hamilton, Vettel, Raikkonen e Bottas, o grupo dos dez primeiros colocados em São Paulo foi completado por Nico Hülkenberg (Force India), Daniil Kvyat (Red Bull), Massa (antes da punição), Romain Grosjean (Lotus) e Max Verstappen (Toro Rosso). Estes dois últimos, por sinal, se destacaram na corrida com belas ultrapassagens.

Já o brasileiro Felipe Nasr, que enfrentou problemas com sua Sauber, fechou a corrida apenas em 13º lugar, mas ainda assim à frente da dupla da McLaren formada por Jenson Button e Fernando Alonso, respectivos 14º e 15º colocados.

 

A CORRIDA

Antes da prova, com uma bandeira da França com um fita preta em sinal de luto à frente deles, os pilotos fizeram um minuto de silêncio em homenagem às vítimas dos ataques terroristas ocorridos em Paris na última sexta-feira, quando mais de 120 pessoas morreram na capital francesa. Ainda antes disso, os pilotos deram a tradicional volta do traçado em cima de uma caminhão em Interlagos com a mesma bandeira exibida na lateral do veículo.

Acesa a luz verde, Rosberg largou e sustentou a ponta, embora tenha recebido pressão de Hamilton já na primeira curva, na qual eles quase se tocaram. Bottas, que saiu em sétimo após ser punido com a perda de três posições já nos treinos livres de sexta, já saiu bem ao largar por fora e ganhar duas colocações. Logo atrás dos dois pilotos da Mercedes, Vettel e Raikkonen se mantiveram nas respectivas terceira e quarta posições.

Já Massa, que partiu em oitavo lugar, se manteve na mesma posição, enquanto Nasr fez uma boa largada e ganhou uma posição. Após sair em 13º por causa da perda de três posições após o treino de classificação de sábado, fruto de uma manobra perigosa na segunda parte da sessão ao atrapalhar Massa e impedir o compatriota de registrar uma volta rápida, o piloto da Sauber ganhou uma posição e assumiu o 12º lugar.

O primeiro a sair da pista foi Carlos Sainz, que largou dos boxes por causa de problemas em sua Toro Rosso e logo abandonou a corrida. Ele, por sinal, foi o único dos 20 que largaram que não terminou a prova.

Rosberg começou a abrir vantagem na ponta e foi fazer a sua primeira parada nos boxes para trocar pneus já na 13ª volta. A Mercedes trabalhou mal nos boxes e a parada foi 4,4s. Isso poderia ajudar Hamilton, mas o piloto inglês foi para os boxes já na volta seguinte e, mesmo com uma troca de pneus um pouco mais rápida, ele acabou voltando para a pista atrás do alemão.

Massa, por sua vez, parou nos boxes já na 11ª volta e a Williams trabalhou rápido para devolver o carro para a pista sem prejudicar o brasileiro. Nasr seguia fazendo boa corrida e chegou a dar uma bela ultrapassagem em Button na 24ª volta e assumiu então o 14º lugar, depois de anteriormente ter sido ultrapassado por Romain Grosjean na quinta volta da corrida.

Absolutos na frente, Rosberg e Hamilton voltaram para os boxes novamente para nova troca de pneus respectivamente na 34ª e 35ª voltas. E, após as paradas, o alemão aumentou a sua diferença na frente para o inglês para 3,4s.

Massa, bem distante do pelotão de frente, seguia sofrendo pra andar bem com sua Williams e pulou para a oitava posição na 54ª volta ao ultrapassar Pastor Maldonado. Antes disso, na 38ª volta, o venezuelano da Lotus havia ultrapassado Nasr, mas depois começou a perder desempenho por causa do alto desgaste dos pneus do seu carro.

Bem longe deste disputa, Hamilton e Rosberg começaram a voar baixo. Na 46ª volta, o inglês cravou a volta mais rápida da corrida, mas o alemão deu o troco e superou esta marca na 51ª volta. Determinado a conquistar a sua primeira vitória no Brasil, Hamilton voltou a conseguir a volta mais veloz da prova na 52ª e começou a se aproximar mais de Rosberg.

Neste meio tempo entre as voltas rápidas, o alemão fez sua terceira troca de pneus pela Mercedes no 48º giro no traçado, enquanto Hamilton parou no 50º para fazer pit-stop.

Na 51ª volta, a vantagem de Rosberg para Hamilton era de apenas 1,5s. Na parte final da prova, porém, o alemão voltou a aumentar essa vantagem e a administrar com tranquilidade a liderança e nenhum momento foi realmente ameaçado pelo inglês com uma tentativa de ultrapassagem.

Lá atrás do pelotão de frente, Massa era apenas o oitavo, enquanto Nasr passou a sofrer problemas com a sua Sauber e a perder posições em sequência, despencando para o 14º lugar. Para completar o dia ruim dos brasileiros na pista, o piloto da Williams ainda passou a ser julgado pelos comissários da FIA por temperatura e pressão de um dos pneus (traseiro direito).

A medição, feita pela FIA no grid de largada, detectou que a temperatura estava em 27ºC acima do permitido e a pressão, 0.1psi maior que o limite máximo estabelecido para o circuito de Interlagos. Uma decisão será tomada ainda neste domingo para definir a situação do brasileiro na corrida.

Confira a classificação final do GP do Brasil de Fórmula 1:

1) Nico Rosberg (ALE/Mercedes) - em 1h31min09s090

2) Lewis Hamilton (ING/Mercedes) - a 7s7

3) Sebastian Vettel (ALE/Ferrari) - a 14s2

4) Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari) - a 47s5

5) Valtteri Bottas (FIN/Williams) - a 1 volta

6) Nico Hülkenberg (ALE/Force India) - a 1 volta

7) Daniil Kvyat (RUS/Red Bull) - a 1 volta

8) Romain Grosjean (FRA/Lotus) - a 1 volta

9) Max Verstappen (HOL/Toro Rosso) - a 1 volta

10) Pastor Maldonado (VEN/Lotus) - a 1 volta

11) Daniel Ricciardo (AUS/Red Bull) - a 1 volta

12) Sergio Pérez (MEX/Force India) - a 1 volta

13) Felipe Nasr (BRA/Sauber) - a 1 volta

14) Jenson Button (ING/McLaren) - a 1 volta

15) Fernando Alonso (ESP/McLaren) - a 1 volta

16) Marcus Ericsson (SUE/Sauber) - a 2 voltas

17) Will Stevens (ING/Marussia) - a 4 voltas

18) Alexander Rossi (EUA/Marussia) - a 4 voltas

Desclassificado

Felipe Massa (BRA/Williams) 

Não completou a prova

Carlos Sainz (ESP/Toro Rosso)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.