Kai Pfaffenbach/Reuters
Kai Pfaffenbach/Reuters

Ross Brawn deixa o comando da Mercedes na Fórmula 1

Dirigente é cogitado para comandar a Williams em 2014

AE, Agência Estado

28 de novembro de 2013 | 09h49

BRACKLEY - Um dos dirigentes de maior sucesso na história da Fórmula 1, Ross Brawn anunciou nesta quinta-feira que está deixando o cargo de chefe da Mercedes, após semanas de conversas com a equipe. A partir do próximo ano, ele não fará mais parte do corpo diretivo, deixando o comando para os atuais diretores executivos Toto Wolff e Paddy Lowe.

"A consideração mais importante em minha decisão de deixar o papel de chefe foi garantir que o momento é ideal para a equipe, tendo em vista garantir o sucesso futuro", explicou. "O processo de planejamento que implantamos esse ano significa que estamos prontos para conduzir a transição das minhas responsabilidades atuais para uma nova liderança, composta por Toto e Paddy."

Ross Brawn fez questão de exaltar o desempenho da Mercedes em 2013, ano em que ficou com o vice-campeonato do Mundial de Construtores, atrás apenas da quase imbatível Red Bull. O dirigente avaliou ainda que as mudanças no regulamento para a próxima temporada fazem com que o momento seja perfeito para uma troca de comando.

"O ano de 2014 vai marcar o início de uma nova era no esporte. Nós, então, sentimos que esse era o momento certo para simultaneamente começar uma nova era na administração da equipe, para garantir que a organização estará na posição para competir o mais fortemente possível nos anos que virão", disse.

Brawn esteve à frente da Benneton quando Michael Schumacher conquistou seus dois primeiros título na Fórmula 1, em 1994 e 1995. Ele foi com o alemão para a Ferrari e juntos os dois protagonizaram uma das parcerias mais vencedoras da categoria. Em 2008 assumiu a Honda e, no ano seguinte, montou a Brawn, que alcançou sucesso meteórico com o título de Jenson Button em 2009. Em 2010, vendeu o time para a Mercedes, tornando-se chefe.

"Podemos ficar orgulhosos não só pelos resultados alcançados na pista, mas também pela organização criada em Brackley (onde fica a fábrica da Mercedes). Em muitas vezes nos últimos seis anos, a equipe me deu alguns dos momentos mais memoráveis da minha carreira. Nosso segundo lugar no Mundial de Construtores esse ano é um importante passo no caminho para o sucesso", comentou.

O dirigente ainda não falou sobre seu futuro na Fórmula 1, mas especula-se que ele estaria de malas prontas para a Williams, que terá Felipe Massa em 2014. Por enquanto, Brawn preferiu apenas desejar sucesso à Mercedes. "Estou confiante de que o futuro trará sucesso à equipe me fará bastante orgulhoso por ter feito minha parte para essas conquistas."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.