Andrej Isakovic/AFP
Andrej Isakovic/AFP

Ross Brawn faz elogios e compara Hamilton a Senna e Schumacher na F-1

Diretor esportivo acredita que piloto inglês alcançou um "nível surreal" na temporada 2018

Redação, Estadão Conteúdo

30 Dezembro 2018 | 21h23

O diretor esportivo da Fórmula 1, Ross Brawn, acredita que Lewis Hamilton alcançou um "nível surreal" na temporada 2018, semelhante ao que fizeram Michael Schumacher e Ayrton Senna em suas épocas ao se destacarem tanto que mudaram a "referência" para os demais pilotos de F-1.

"Tive a sorte de ver isso às vezes com Michael Schumacher. Nós vimos isso com pilotos como Ayrton Senna também. E acho que vimos isso em algumas ocasiões com Lewis este ano. Essas são as coisas que você lembra, porque, como engenheiro, você quase não consegue descobrir de onde isso vem. É como um nível surreal que eles alcançam e isso é sempre muito especial quando você vê", disse Brawn em entrevista ao site inglês Autosport.com.

Para Brawn, o ponto "excepcional" de Hamilton no ano foi em Cingapura, onde era esperado que a Mercedes fosse ser o terceiro melhor carro e Hamilton se superou. O inglês obteve a pole position e ganhou a corrida.

Hamilton conquistou seu quinto título mundial neste ano com uma temporada que contou com um desempenho de 11 vitórias em 21 corridas, sendo oito nas últimas 11, retrospecto que lhe garantiu com folgas o pentacampeonato, marca antes alcançada apenas pelas lendas Michael Schumacher e Juan Manuel Fangio.

Em 2019, a primeira prova da próxima temporada será na Austrália em 17 de março e o ano irá terminar no GP de Abu Dabi em 1º de dezembro.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.