Ross Brawn reaparece na F-1 e fala em evolução na Honda

Diretor-técnico está animado com melhorias em termos de desempenho de corrida, não de classificação

Livio Oricchio, Enviado Especial - O Estado de S. Paulo

12 de março de 2008 | 11h22

Quem deu as caras de novo na Fórmula 1, nesta quarta-feira, foi Ross Brawn, ex-diretor-técnico da Ferrari, desde novembro o principal homem na organização da Honda. E suas palavras foram animadoras. "Testamos semana passada um novo pacote aerodinâmico, em Jerez, e os resultados, em especial na simulação de corrida, significaram que demos importante passo adiante", diz o dirigente, no circuito de Albert Park, em Melbourne, onde acontecerá o GP da Austrália neste fim de semana. Veja também: A expectativa para o GP da Austrália Blog do Livio: mais informações sobre a Fórmula 1 Reginaldo Leme e Livio Oricchio projetam 2008É a primeira vez que alguém da Honda fala em avanço nos últimos tempos. "Vamos ver aqui, mas as indicações são de que na classificação não crescemos tanto, mas completamos sérias seguidas de voltas com tempos promissores." Esse pacote de mudanças é o primeiro estudado por Brawn para a Honda. Tudo o que fez até agora foi compreender o que Jorg Zander e Louic Bigois, os projetistas, haviam feito. Rubens Barrichello estará nesta quinta no circuito e comentará o novo momento da Honda. Fora das pistas seus funcionários têm, agora, um uniforme todo verde-limão, capaz de permitir serem identificados à distância considerável. A reação dos demais profissionais da Fórmula 1, obviamente discretos na identificação, foi variada: "Abacates", "jardineiros", "protesto ambientalista." 

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1Rubens BarrichelloHonda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.