Rubinho continua sem testar F2002

Rubens Barrichello e a Ferrari encerraram nesta quarta-feira, em Ímola, sua preparação para a etapa de abertura do Mundial, dia 3, na Austrália. Com o modelo F2001, o que será usada por ele e Michael Schumacher em Melbourne, Barrichello completou 70 voltas (um GP nesse circuito tem 62 voltas), sendo a melhor volta em 1min23s593. Terça-feira o alemão havia registrado 1min23s459. Não foi nesta quarta-feira também que Barrichello conheceu a nova Ferrari, F2002. O carro foi testado por Lucas Badoer. No total, o italiano deu 50 voltas e na melhor fez 1min24s533.Em Valência, na Espanha, Williams e McLaren iniciaram o primeiro dos três dias de testes programados, com carros novos. Alexander Wurz, piloto de testes da McLaren, ficou na frente, 1min12s569 (67) e David Coulthard, McLaren, em segundo, 1min13s416 (28). Juan Pablo Montoya, Williams, marcou 1min13s468 (43) e o piloto de testes da equipe, Marc Gené, 1min13s904 (44). Todos os pilotos estavam na condição de corrida.Dia 10, Montoya registrou na mesma pista e mesmo carro, 1min10s977, e Kimi Raikkonen, o outro piloto da McLaren, 1min10s937, dia 13, o recorde.Arrows, Jordan, Jaguar e Renault prosseguiram trabalhando em Silverstone, Inglaterra, apesar da chuva durante a noite e depois na sessão da tarde, o que explica as diferenças desproporcionais nos tempos registrados.Comprovando que o modelo Arrows A-23 Ford é mesmo bastante rápido, apesar dos seus muitos problemas ainda, Heinz-Harald Frentzen foi o mais rápido, 1min24s91 (43), seguido pelo bom japonês Takuma Sato, de Jordan-Honda, 1min26s09 (15), e o brasileiro Enrique Bernoldi, companheiro de Frentzen, 1min26s27 (37). Depois vieram: Eddie Irvine, Jaguar, 1min27s42 (26), Jenson Button (Renault), 1min34s08 (26) e Jarno Trulli (Benetton), 1min44s24 (21).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.