Rubinho dá a resposta na pista

"Nada como um dia após o outro". A frase de Rubens Barrichello reflete bem a sua situação até agora no GP da Grã-Bretanha de Fórmula 1. Depois de ter errado no treino de sexta-feira, quando rodou com a sua Ferrari, o brasileiro se recuperou na sessão que definiu o grid de largada neste sábado. Fez uma excelente volta e conseguiu a pole da 11ª etapa do Mundial, que acontece neste domingo, a partir das 9 horas (horário de Brasília)."Consegui um tempo muito bom, a Ferrari e a Bridgestone evoluíram o carro e estou bastante confiante para a corrida", avisou Rubinho, tranqüilo por ter dado na pista a resposta às críticas que sofreu depois do erro de sexta-feira. "Tive de manter-me frio, diante da pressão, e o carro ajudou muito. Minha única desvantagem ao sair em segundo para a pista foi a pressão que havia por causa do ocorrido ontem", contou. "O duro é você fazer um tempo que sabe ser muito bom e depois ficar aguardando que os outros não te superem."A Ferrari modificou o aerofólio dianteiro e os defletores, bem como tem um motor com novas especificações. Mas a maior diferença veio da Bridgestone. "Eles fizeram um trabalho fantástico", resumiu o brasileiro. A marca japonesa estava em clara desvantagem na luta com a Michelin, fabricante de pneus da Williams e McLaren. A performance de Rubinho foi tão boa que induziu o pentacampeão Michael Schumacher ao erro. Na tentativa de tenta superar o seu companheiro da Ferrari, o alemão exigiu demais do carro na saída da curva Abbey e perdeu vários décimos de segundo, conseguindo apenas a 5ª colocação no grid."Estou um pouco decepcionado, claro, mas o mais importante é que os treinos demonstraram que nosso carro está muito consistente para as 60 voltas da corrida", disse Schumacher.Rival - Vencedora das duas últimas etapas, a Williams não ameaçou a Ferrari no treino em Silverstone. Ralf Schumacher obteve o quarto tempo, enquanto Juan Pablo Montoya foi apenas o sétimo."A Ferrari provou que será um duro adversário aqui, apesar de meu irmão estar atrás de mim", afirmou Ralf. Montoya também admitiu que não será fácil vencer a equipe italiana. "Este é um circuito mais para eles do que para nós."

Agencia Estado,

19 de julho de 2003 | 14h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.