Rubinho: de 11º no grid a 2º no pódio

Apesar de não tervencido neste domingo, Rubens Barrichello disputou no AlbertPark uma das mais brilhantes corridas da carreira. Largou em11.º e recebeu a bandeirada em segundo, a apenas 5 segundos deGiancarlo Fisichella, da Renault, o vencedor, mesmo com aFerrari optando pelo uso do carro velho. "Curti cada segundodeste GP da Austrália, pudemos provar que não há crise alguma naFerrari. Quando recebermos o novo modelo teremos grandesprazeres." Sua trajetória na prova teve lances espetaculares."Logo na largada deixou o Jenson Button (BAR) para trás. Depoisconsegui ótima velocidade nas curvas 2 e 3 e ultrapassei JacquesVilleneuve (Sauber), que era fundamental para poder impor meuritmo." Mas logo começou a enfrentar um problema mecânico quequase o deixa na mão. "Perdi o controle de carga dos freios,frente e traseira. Solicitei ajuda da equipe e eles me disseramque não poderiam fazer nada." Seu trabalho na pista não foi tãofácil como pareceu:"Com a carga concentrada nas rodas traseiras, o freio tendia atravá-las. Meu carro se assemelhava a um kart, que breca só comas rodas traseiras." Como não dava para encostar em Fisichella,procurou administrar a segunda colocação. "O mesmo motor teráde suportar, agora, os 40 graus da Malásia.O problema é que o Fernando Alonso (Renault) vinha seaproximando e tive de acelerar um pouco mais." Os pneusproduzidos pela Bridgestone, disse, foram tão eficientes que"daria para disputar outro GP. Mas, por favor, não digam nada àFIA porque eles vão querer fazer os pneus também resistir a duascorridas." Admitiu, pela primeira vez, que as novas regraspodem lhe ser favoráveis. "Se elas exigem maior técnica, saberadministrar o uso dos pneus, motor, e eu tenho essascaracterísticas, deve mesmo ser um plus para mim este ano." O segundo lugar lhe deu 8 pontos, 2 a menos do líder,Fisichella, enquanto Michael Schumacher, que envolveu-se numacidente com Nick Heidfeld, Williams, e abandonou, não marcoupontos. "Foi meu melhor começo de temporada comparando com o domeu companheiro." O 10.º lugar de Felipe Massa, da Sauber, nãoreflete o seu bom trabalho, neste domingo. Por não ter marcadotempo sábado, em razão da forte chuva na sua volta lançada,largou em 19.º, com gasolina para apenas um pit stop, único aadotar essa estratégia. Os demais pararam duas vezes."Não estava fácil guiar com tanto peso. Mas até que fui bem.Meu companheiro (Jacques Villeneuve), era o quarto no grid eterminou em 13.º." Massa não escondeu sua decepção com o fim desemana. "Temos carro para fazer bem mais do que fizemos aqui emMelbourne." Tudo foi condicionado, segundo comentou, ao azar dechover na sua hora na classificação. "Era dia, se largasse numposição regular, embora acredito que estaria nas primeiras filas para marcar bons pontos."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.