John Gress/Reuters
John Gress/Reuters

Rubinho: 'Dos 7 títulos de Schumacher, um deveria ser meu'

Piloto admite que deixou o ex-companheiro ganhar diversas provas

O Estado de S. Paulo

19 Março 2015 | 12h17

Ex-piloto da Fórmula 1 e atualmente na Stock Car, Rubens Barrichello deu uma forte declaração sobre o período em que formou dupla com Michael Schumacher na Ferrari: "Dos sete títulos de Schumacher, um deveria ser meu", disse o automobilista em entrevista ao programa Agora É Tarde, da TV Bandeirantes, que será exibido nesta quinta-feira.

O piloto brasileiro, duas vezes vice-campeão mundial da categoria, reconheceu que deixou o alemão vencer corridas por diversas vezes e, por isso, mereceria um título no período entre 2000 e 2005, quando defendeu a escuderia italiana. Ele ainda lembrou do polêmico GP da Áustria de 2002, em que deixou ser ultrapassado por Schumacher na reta final a pedido dos chefes da escuderia: "Eu não ia deixá-lo passar, mas recebi uma informação do staff da Ferrari que me fez pensar. Então, tirei o pé do acelerador", afirmou.

Rubinho diz que não se importa com as piadas que fazem alusão à sua suposta 'lentidão' nas pistas e seu desempenho enquanto foi piloto da Fórmula 1: "Eu não ligo, mas quando falam da minha família, me incomoda". Ele também lembrou a relação próxima com Ayrton Senna e opinou que o tricampeão mundial foi o melhor piloto que já existiu.

Hoje, na Stock Car, Rubinho vem fazendo um bom papel. No ano passado, faturou a cobiçada 'Corrida do Milhão' logo em sua primeira vitória na categoria, em encheu os bolsos. "Eu estou fazendo o que gosto e tendo o prazer de mostrar ao Brasil que sou um bom corredor", disse. Em 2014, ele foi o campeão geral da categoria.

Além dos dois vice-campeonatos e de dois terceiros lugares no mundial de Fórmula 1, Rubinho acumula números impressionantes na categoria. Esteve no grid durante 18 anos (entre 1993 e 2011) e é o recordista do número de GPs da história da modalidade. Foram 326 corridas, com 68 pódios (quinto maior de todos os tempos) e 658 pontos conquistados (sétimo maior pontuador). Na temporada 2004, o brasileiro somou incríveis 114 pontos, o que não foi suficiente para superar Schumacher, mas o consolidou como o segundo maior pontuador em um único campeonato em toda a história.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.