Rubinho: emoção com a família na F-1

No seu último dia na equipe Ferrari, segunda-feira, Rubens Barrichello experimentou emoções talvez até mais fortes que nas corridas. Conforme planejava há muito, pôde levar o avô e o pai, os dois Rubens também, a sentir um pouco das sensações de estar dentro de um carro de Fórmula 1 a quase 300 km/h. No circuito de Fiorano, localizado do outro lado da rua onde se encontra a fábrica da Ferrari, em Maranello, Rubinho conduziu o modelo de 3 lugares do time italiano tendo como entusiasmados passageiros os dois familiares. ?Fiquei como se estivesse chorando quando vi a felicidade de meu avô e de meu pai. Através dos olhos deles revivi toda a minha carreira, como se fosse um filme?, disse, visivelmente emocionado, o piloto que dia 11 de janeiro realizará seu primeiro treino com a nova escuderia, a BAR-Honda. Rubinho deu mais detalhes do vivido na pista de testes da Ferrari: ?Às vezes, quando eu andava mais rápido, tocando aí a casa dos 290 km/h, meu avô gritava ?isso é maravilhoso, pisa mais fundo, vai mais rápido.? Já na casa dos 80 anos, o avô é esportista até hoje, multicampeão de bocha. Rubinho desembarca amanhã em São Paulo, onde permanecerá de férias até o início de janeiro, apenas preparando-se fisicamente para a temporada que começa dia 12 de março em Bahrein. ?Vou curtir meu tempo livre com a Silvana (esposa) e meus filhos.? O casal tem dois meninos, Eduardo, de 4 anos, e Fernando, nascido há dois meses. Na Europa, ainda, reconheceu que trabalhará mais na Honda que na Ferrari, pela necessidade de ajudar a escuderia tornar-se vencedora. A Ferrari o liberou de cumprir o contrato em 2006, ao aceitar seu desejo de transferir-se para a BAR-Honda, mas exige que até o fim do ano não inicie suas atividades de pista. Em conversa com a imprensa italiana, Rubinho comentou sobre seu novo companheiro de equipe, o jovem e veloz inglês Jenson Button. ?Alguém que já dividiu um time com o Michael Schumacher não pode ter medo de Button?, afirmou. Abordou, ainda, suas possibilidades na nova escuderia: ?A BAR-Honda ainda não ganhou nenhum GP. Espero levar para eles o conhecimento necessário para ser primeiro, o que aprendi na Ferrari.? A respeito de vencer Schumacher, disse: ?Na Ferrari tudo era feito para que ele fosse campeão. Agora, quem sabe eu tenha melhor oportunidade de superá-lo.? Rubinho tem 9 vitórias na Fórmula 1.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.