Rubinho: ?Meu carro estava nervoso?

O rendimento de Rubens Barrichello na Ferrari está em queda livre. Hoje, por exemplo, não foi além da oitava colocação no grid. "Meu carro estava muito nervoso nas freadas", disse. A imprensa italiana já publicou que depois de a Ferrari anunciar a renovação de seu contrato, no GP da Áustria, em maio, Rubinho foi ficando cada vez mais para trás. Na Áustria mesmo classificou-se em quarto no grid; Mônaco, quarto de novo, quinto no Canadá, quarto em Nurbugring e, agora, oitavo. Este ano largou apenas nas duas primeiras etapas, Austrália e Malásia, na primeira fila, em segundo. "Estava difícil de guiar hoje. Perdi minha segunda volta lançada porque não tive como controlar o carro na freada da chicane." Ocorre que o ajuste do equipamento também envolve diretamente a participação do piloto. A comparação é ingrata, afinal Michael Schumacher é um dos maiores de todos os tempos, mas enquanto este ano o alemão conquistou sete pole positions, em dez disputadas, Rubinho só obteve dois segundos lugares. "Os carros são iguais, disso eu não posso reclamar", costuma afirmar. Em corrida a situação não é diferente. Michael ganhou cinco etapas e em três classificou-se em segundo. Rubinho, obteve duas segundas colocações e três terceiros lugares, além de um quinto, em Nurburgring. Michael somou até agora 68 pontos, enquanto ele, 26. Todos na Ferrari e na Itália esperam mais de Rubinho. "O que eu tenho de fazer agora é compreender com a equipe como ajustar o carro para a corrida. Largar da quarta fila não é nada bom, mas com uma boa estratégia acho que dá para recuperar algumas posições." Luciano Burti, da Prost, representou bem seu time diante dos franceses, ao obter, hoje, um bom 15.º lugar no grid. Jean Alesi, seu companheiro, profundo conhecedor dos 4.251 metros do circuito de Magny-Cours, ficou em 19.º, com um tempo sete décimos de segundo pior. A reação do piloto veio numa boa hora. Depois de Alesi ter sido bem mais rápido que ele em condição de corrida em Mônaco e no Canadá, havia já uma certa insatisfação no time com o seu trabalho. "Apesar de mudarmos várias coisas no carro ao mesmo tempo, o conjunto melhorou muito", disse Burti, que tem de mostrar que é capaz de permanecer na Prost na próxima temporada. "Sempre soubemos que nesta pista nosso desempenho seria ruim", disse hoje Enrique Bernoldi, da Arrows, o 20.º no grid. "Aqui é preciso pressão aerodinâmica no carro e nós não a temos. É por isso que nas retas somos muito velozes." Jos Verstappen, o companheiro, ficou em 18.º. Já Tarso Marques, da Minardi, pode, quando muito, ser mais veloz que o espanhol Fernando Alonso, com quem divide a Minardi. Hoje não foi e larga em 22.º.

Agencia Estado,

30 de junho de 2001 | 11h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.