Rubinho pede cautela com nova Ferrari

Rubens Barrichello finalmente treinou com o F2002 da Ferrari. Nesta terça-feira, ele andou com o carro que a equipe projetou para esta temporada, no Circuito da Catalunha, e gostou do que viu. O piloto brasileiro, no entanto, reconhece que o modelo 2002 precisa evoluir antes de estrear em corridas. "O carro está indo bem, é rápido. Mas precisamos fazer ajustes aerodinâmicos e no motor?, disse. Rubinho completou 78 voltas com o F2002, a mais rápida em 1min19s310, o segundo tempo entre os seis pilotos que testaram na Espanha. O mais veloz do dia foi o austríaco Alexander Wurz, piloto de testes da McLaren, com 1min19s294 na melhor de suas 89 voltas. O italiano Luca Badoer, piloto de testes da Ferrari, foi à pista com o F2001, preocupou-se com o desenvolvimento dos pneus Bridgestone e cravou o terceiro tempo (1min20s255, 92 voltas). Também treinaram o espanhol Fernando Alonso, com Renault (1min20s711, 32), e dois pilotos da Williams: o colombiano Juan Pablo Montoya fez 1min20s907 (57) e o espanhol Marc Gené marcou 1min21s541 (71). O "pé no chão? demonstrado por Barrichello em relação ao F2002 é compartilhado por Michael Schumacher. "Não temos pressa em usar o carro novo. Ele ainda não é 100% confiável?, afirmou nesta terça-feira o alemão, garantindo que a dobradinha da Williams no GP da Malásia não coloca a Ferrari sob pressão. "Já conseguimos 14 pontos com o F2001, mais do que esperávamos. E se o utilizarmos novamente no Brasil, com certeza marcaremos mais pontos.? Schumacher não treinou nesta terça-feira. Teve outras atividades. Assinou contrato com a fabricante de material esportivo Fila, para uso de sapatilhas, que, segundo se comenta, deve lhe render US$ 3 milhões anuais. Mas o alemão também enfrentou problemas. A casa que pretendia construir em Wolfhalden, na Suíça, pode não sair do projeto. Isso porque o governo suíço alega que a construção, em terreno de 17 hectares, trará problemas para o meio ambiente, além de impedir que o local seja utilizado para a agricultura, como determina a lei. Nesta quarta-feira, os treinos prosseguem em Barcelona com a presença da Sauber (com o brasileiro Felipe Massa), Jordan, Toyota e Jaguar, que vai testar o carro deste ano, o fraco R3, e o do ano passado, o R2. A BAR não treina, mas seu novo chefão, David Richards, anunciou que fará uma reformulação geral na equipe. Devem ser demitidos o diretor-geral Malcolm Oaster e o projetista chefe Andy Green, que foi bastante criticado por causa das deficiências do carro deste ano, o BAR 004. Reunião - A Federação Internacional de Automobilismo continua nesta quarta-feira o encontro com donos de equipes, fornecedores de motores e patrocinadores da F-1, em que se discutem medidas para reduzir os gastos da categoria. A reunião começou hoje, em Paris, e se discute itens como a limitação do número de motores usados por GPs, fim dos treinos de sexta-feira e até redução do número de corridas.

Agencia Estado,

19 Março 2002 | 18h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.