Rubinho prevê problemas para Massa

Antes de começar a treinar para a quinta edição das 500 Milhas de Kart da Granja Viana, hoje, Rubens Barrichello conversou com a imprensa e fez uma declaração surpreendente a respeito do jovem piloto Felipe Massa, que irá estrear na Fórmula 1, pela Sauber, em 2002: "Ele é uma criança, como eu quando comecei, e já estão colocando pressão demais em cima dele. Vão causar problemas para a vida do garoto." A hora é de curtir as férias que, segundo Rubinho comentou, é a primeira com dois meses de extensão em dez anos. Disputar a prova de kart que ele já venceu em parceria com Tony Kanaan e Christian Fittipaldi em 1998 e 2000 faz parte da "diversão." A competição ocorrerá nos dias 10 e 11. Ao falar da temporada de Fórmula 1 que se inicia dia 3 de março na Austrália, porém, o assunto se torna mais sério. "Tenho ouvido coisas a respeito do Massinha. Fico impressionado e com o pé atrás", disse o piloto da Ferrari, terceiro colocado no Mundial, com 56 pontos. "O Massinha vai sofrer", prevê Rubinho, que se queixou de não poder dormir porque o filho Eduardo, o primeiro, nascido dia 22 de setembro, troca o dia pela noite. "O Zé Guardinha ainda está com o fuso do Japão, dorme de dia e trabalha de noite." A situação vivida pelo novo talento brasileiro não é muito distinta da experimentada por Rubinho quando estreou na Fórmula 1. "Era tudo em cima do Senna e de repente virou tudo para cima de mim." Massa pode deslocar para si boa parte da atenção dos brasileiros, hoje sobre Rubinho. "Vamos com calma. O carro da Sauber este ano era muito bom, mas ninguém sabe como será em 2002. Tem de esperar." Pode se repetir com Massa o mesmo que ocorreu com Jenson Button. O jovem piloto inglês disputou excelente temporada de estréia na Fórmula 1, ano passado, e no campeonato que acabou dia 14 em Suzuka acabou sendo uma decepção. O companheiro de Benetton, Giancarlo Fisichella, o venceu em praticamente todas as 17 etapas do Mundial. "É preciso esperar antes de se colocar uma pressão tão grande sobre um piloto." A eventual perda dos projetistas da Williams, Oliver Gavin e Geoff Willis, que podem se transferir para a Jaguar, não deve enfraquecer a equipe que, segundo Michael Schumacher, será a maior adversária da Ferrari em 2002. "Se eles saírem de lá não deve fazer muita diferente porque o carro da Williams do ano que vem já está pronto", falou. Mas, para Rubinho, a surpresa pode vir não da Williams, mas da McLaren. "É bom não esquecermos que eles têm um engenheiro chamado Adrian Newey." O time da Mercedes, a McLaren, "virá com muita gana em 2002." Dia 15 de dezembro Rubinho estará em Maranello para a festa de Natal da Ferrari. A partir do fim da primeira semana de janeiro até o embarque dos carros para a abertura do campeonato, 23 de fevereiro, em Melbourne, "a Ferrari vai morar em Mugello." O modelo novo ficará pronto apenas no fim de janeiro. A proibição de treinar até o início do ano que vem foi bem vista por Rubinho, ainda que não deixa de ser preocupante. "Teremos pouco tempo para desenvolver os carros novos e pode afetar a segurança. Será que vai quebrar a asa traseira?", diz, exemplificando os temores de muita gente na Fórmula 1. A programação anterior, porém, era pesada demais na sua avaliação. "As pessoas não têm idéia do que seja fazer teste em cima de teste."

Agencia Estado,

29 de outubro de 2001 | 19h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.