Rubinho reforça: é da Ferrari até 2006

"Essas perguntas sobre meu futuro estão me deixando antipático. Como não tem história para escrever, começam a escrever bobeira. Eu estarei na Ferrari até o fim de 2006." Foi dessa forma, e até com alguma raiva, que Rubens Barrichello respondeu se procedia ou não a informação de que teria declarado que suas chances de correr pela equipe italiana, ano que vem, seriam de 50%. "Eu falo em inglês e o pessoal traduz errado para o português, só isso." De nada adiantou, também, o assessor de imprensa da Ferrari, Luca Colajanni, ter convidado a imprensa para um almoço a fim de esclarecer que, em 2006, os dois pilotos da Ferrari já têm contrato assinado: "Serão Michael Schumacher e Rubens Barrichello", afirmou. "Minha preocupação, aqui, será tentar fazer nosso carro ficar mais rápido, o que estamos longe de conseguir, ao menos hoje", falou Rubinho, ao mesmo tempo em que avisava aos jornalistas que não mais responderia nada sobre seu futuro.Diante de parte da imprensa divulgar que ele teria apenas 50% de possibilidade de prosseguir na Ferrari - "o que nunca afirmei", explicou, as associações com a BAR-Honda foram imediatas. Gil de Ferran, diretor-esportivo da BAR, é amigo de Rubinho e o vê como grande piloto. Além disso, a transferência de Jenson Button da BAR para a Williams, como se acredita ser inevitável, em 2006, deixaria uma vaga em aberto no time da Honda. Segundo Rubinho, tudo não passa de especulação e "sem nenhum fundo de verdade." A respeito do que pode fazer no GP do Canadá, circuito que coloca dentre os seus favoritos, falou: "Está difícil. Mas pode ser que em corrida nosso ritmo seja muito bom, como foi em Ímola, e aqui, diferentemente de lá, é possível ultrapassar." Os pneus e o carro não tinham aderência, nesta sexta-feira, daí sua 10.ª colocação e a 16.ª de Michael Schumacher nos treinos livres. Sobre a classificação deste sábado, comentou: "Não temos um conjunto, não só pneu, para estar entre os primeiros." O calor de 33 graus da tarde não foi o fator mais determinante para explicar o fraco desempenho da Ferrari.Michael Schumacher disse aos italianos que "adoraria" ver a bela piloto norte-americana Danica Patrick, de 23 anos, na Fórmula 1. Para Bernie Ecclestone, promotor do Mundial, seria fascinante contar com uma mulher eficiente na Fórmula 1. Danica terminou a última edição das 500 Milhas de Indianápolis em quarto e chegou a liderar a competição, a única mulher na história dessa prova, que começou em 1911, a realizar tal feito. Ecclestone está tentando agendar um teste de Danica com a equipe BAR.Outra notícia envolvendo novidades na Fórmula 1 é a presença de um grupo de empresários de Las Vegas no Circuito Gilles Villeneuve. Flavio Briatore, diretor da Renault, confirmou o interesse de Ecclestone e desses empresários em promover uma etapa do Mundial na capital mundial dos cassinos. Las Vegas já teve seu GP de Fórmula 1, em 1981 e 1982, disputado numa pista criada no estacionamento do Hotel Cesar Park. Agora, obviamente, os tempos e as exigências da Fórmula 1 são outros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.