Rubinho sonha em vencer o GP Brasil

O piloto Rubens Barrichello ainda tem um sonho na Ferrari: ganhar o Grande Prêmio Brasil de Fórmula 1, marcado para o dia 25 de setembro no Autódromo de Interlagos. "Chegamos perto muitas vezes, mas nunca aconteceu. Seria bom eu me despedir da Ferrari com uma vitória em casa", disse nesta quarta-feira, ao desembarcar em São Paulo vindo de Milão para curta parada no Brasil. Rubinho já anunciou sua transferência para a BAR na próxima temporada e só tem olhos para a nova equipe. "Existe uma Honda muito grande por trás da BAR e isso me motiva muito. A equipe tem muito talento, mas ainda não ganhou nada. Embora acredite que ela vem forte nesse final de temporada", disse o piloto, que se mostrou aliviado com o encerramento dos testes com a Ferrari. Na terça-feira, o piloto deu suas últimas 95 voltas em Monza para testar o carro. Despediu-se com o melhor tempo de 1min22s461. "Tenho agora somente mais cinco corridas com a Ferrari, já que na terça encerrei os testes em Monza", comentou. O piloto brasileiro desembarcou no aeroporto de Guarulhos às 5h40 da madrugada. Parecia disposto. Respondeu a todas as perguntas. Da escuderia italiana, deseja guardar apenas as boas recordações. O mesmo se aplica a seu companheiro de equipe, Michael Schumacher. "E eu que sempre achei que correr com a Ferrari seria diferente", ironizou. "Bati na porta das vitórias várias vezes, mas nem sempre deu. Sei que nesta temporada a equipe está procurando melhorar o carro. Entrei na Ferrari sorrindo e vou sair da mesma forma. E espero ter deixado as portas abertas." Em nenhum momento, Rubinho mostrou-se um piloto ressentido com algumas atitudes da escuderia em favor de Schumacher. E tinha motivos. Rubinho não é assim. Prefere agradecer os momentos bons vividos sob a logomarca do cavalinho mais famoso do mundo e esquecer tudo de ruim que lhe aconteceu nas últimas cinco temporadas. Ele sabe que a torcida brasileira sempre esperou mais dele nas pistas. E está certo de que poderá mostrar isso com mais tranqüilidade e igualdade em sua nova escuderia. Rubinho não se esqueceu sequer de lembrar os momentos experimentados ao lado do melhor piloto dos últimos anos da F-1. "Foi graças ao Schumacher que também ganhei ou pontuei em algumas corridas. Aproveitei muito." Mas foi para a BAR que o piloto reservou suas melhores palavras. Rubinho aposta todas as suas fichas no crescimento da escuderia. E acha que pode contribuir muito para isso. "Chego com os pés no chão e bastante animado. Sei que vamos brigar pelo título mundial." Ele não esconde sua ansiedade em começar na casa nova. "A BAR está muito competitiva nesta temporada e tudo pode acontecer até o fim do calendário. Serão mais cinco provas." Sobre a transferência e o recomeçar, o ?veterano? Rubinho admitiu sofreguidão. "Toda mudança sempre te traz motivação e ansiedade extras. Mas penso nisso como sendo um momento de alegria acima de tudo. Sorrir agora é muito importante para mim." Massa - Rubinho comentou pouco sobre seu ?rival? Felipe Massa, que corre nesta temporada com a Sauber, mas estará em seu lugar em 2006. Disse apenas que o torcedor brasileiro sairá ganhando com a troca. "Pois nós teremos agora dois corredores com chances de vencer em equipes grandes da Fórmula 1." Rubinho descansa em São Paulo para disputar dia 4 o GP da Itália, o último antes da prova no Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.