Rodrigo Jiménez/EFE
Rodrigo Jiménez/EFE

Sainz diz não querer ser um Barrichello na F-1 e mira título com a Ferrari

Dividindo as atenções com Charles Leclerc na equipe italiana, piloto espanhol cita brasileiro para descartar ficar à sombra do colega e busca papel de protagonismo

Redação, O Estado de S.Paulo

21 de setembro de 2021 | 15h57

Carlos Sainz ainda está em seu primeiro ano na Ferrari, mas nem por isso deixa de sonhar alto. O espanhol tem como meta ser campeão mundial da Fórmula 1 pela equipe, na qual divide as atenções com Charles Leclerc. Sabendo que o colega monegasco é tido como um dos jovens mais promissores da categoria, e tratado como joia pelos italianos, o piloto faz questão de afirmar que trabalha para ser protagonista, e afirma não querer repetir o papel de fiel escudeiro desempenhado pelo brasileiro Rubens Barrichello na época em que corria com Michael Schumacher

"Não ficaria feliz (sendo um Barrichello), porque quero ser campeão mundial. O tempo dirá se eu vou conseguir, mas eu me esforço todos os dias para ser um campeão com a Ferrari um dia", disse Sainz em entrevista ao jornal espanhol As

Sainz chegou à Ferrari no início deste ano para substituir o tetracampeão mundial Sebastian Vettel, que deixou a equipe após seis temporadas e foi para a Aston Martin. Perguntado sobre como se sentiu ao ver Daniel Ricciardo vencer o GP de Monza com a McLaren, sua antiga equipe, o espanhol diz não ter arrependimento pela mudança na carreira. 

"Ninguém me fez essa pergunta quando estive perto de vencer em Mônaco", rebateu. "Não sinto falta da McLaren, estou muito feliz com a Ferrari e estou vivendo o melhor ano da minha carreira, gosto da F1, gosto da minha equipe, realizei um sonho e o tempo dirá se errei. É um projeto de longo prazo, e não para vencer em Monza."

Aos 27 anos, Sainz está na sua sétima temporada da Fórmula 1, tendo passado pela Toro Rosso e Renault antes de competir por McLaren e Ferrari. Na entrevista, o espanhol também comentou sobre as particularidades de fazer parte da escuderia. 

"Há coisas sobre a Ferrari que não acontecem em outras equipes. Vejo o especial de ser piloto da Ferrari, como poder dar uma carona para minha família em uma F-1 tripla, ou entrar em uma Ferrari clássica em Fiorano."

Atualmente, Sainz ocupa o sétimo lugar na tabela de classificação da Fórmula 1, com 97,5 pontos. Leclerc vem logo à frente, com 104. O holandês Max Verstappen lidera, com 226,5. O GP da Rússia, 15ª etapa de 2021, acontece no domingo, às 9h (horário de Brasília). 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.