Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Satisfeito, Massa defende Rubinho

O piloto brasileiro da Sauber Felipe Massa defendeu Rubens Barrichello hoje, após o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1. Segundo o piloto, que terminou na oitava posição usando os mesmos pneus Bridgestone de seu compatriota da Ferrari seria impossível ultrapassar as Williams e as Mclarens sob garoa. "Estava muito difícil de guiar por causa dos pneus. Realmente tenho certeza de que ele não poderia ter feito melhor do que fez porque nossos pneus em uma situação intermediária, como a desta corrida, são muito inferiores ao da Michelin." Sobre a corrida, o piloto brasileiro ficou satisfeito com o oitavo lugar, embora acreditasse que se as condições de clima tivessem sido melhores, o posicionamento final da corrida teria sido muito melhor. "Fiquei contente porque consegui meu objetivo na corrida, que era pontuar. Realmente conseguimos o máximo que podíamos nestas circunstâncias." Massa foi engraçado ao descrever as duas voltas em que assumiu o primeiro lugar, seis e sete respectivamente. "Para falar a verdade, foi muito rápido nem deu para pensar muito", disse. "Mas liderar em um Grande Prêmio Brasil, correndo em casa, é uma coisa que não dá nem para descrever a sensação." O piloto também mostrou ter palavra. Disse no sábado que na largada não tiraria o pé do acelerador de jeito nenhum. E não só fez o que se propôs, como chegou a ganhar duas posições com a saída de Kimi Raikkonen e Juan Pablo Montoya para os boxes. Zonta era a imagem do desgaste depois da corrida. Mesmo quase meia hora após a chegada, o piloto da Toyota ainda estava mancando enquanto andava pelo padock. "O meu carro rendia melhor em situação de chuva. Em tempo seco ele estava muito difícil de dirigir", lamentou, confirmando os problemas de acerto do carro que teve no sábado.. Segundo ele, se a previsão do tempo se confirmasse com uma chuva mais substancial, talvez tivesse conseguido sair da corrida marcando alguns pontos, como era seu objetivo. "Mas do jeito que estava não foi possível fazer mais", disse o piloto.

Agencia Estado,

24 de outubro de 2004 | 18h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.