Chris O'Meara/AP
Chris O'Meara/AP

Sauber acerta com a suíça Simona de Silvestro como 'afiliada'

As chances da piloto de entrar na competição são boas, segundo a chefe de equipe, Monisha Kaltenborn

Agência Estado

14 Fevereiro 2014 | 09h41

HINWIL, SUÍÇA - A Fórmula 1 poderá contar novamente com uma mulher no grid em 2015. A mais nova candidata a ganhar uma vaga na restrita categoria é a suíça Simona de Silvestro, anunciada pela Sauber nesta sexta-feira. Simona foi contratada como "piloto afiliada", visando um lugar na equipe na próxima temporada.

A piloto suíça, de mesma nacionalidade da equipe Sauber, disputou as últimas quatro temporadas da Fórmula Indy. E conquistou seu primeiro pódio na categoria em outubro de 2013, ao terminar na segunda colocação em Houston. Aos 25 anos, ela decidiu tentar encarar um desafio mais complicado na F1 neste ano.

De acordo com a Sauber, a piloto fará diversos testes neste ano, realizará treinos no simulador e iniciará sua preparação para tentar obter a Superlicença da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), que dá a permissão para os pilotos competirem na F1. Se conseguir a liberação, Simona poderá pleitear uma vaga no grid da Fórmula 1 em 2015.

As chances da piloto de entrar na competição são boas, segundo a chefe de equipe da Sauber, Monisha Kaltenborn. "Após quatro anos na Indy, a ambição de Simona é entrar na F1. Achamos que ela é uma piloto muito talentosa. E decidimos contratá-la como piloto afiliada para apoiá-la na busca por alcançar o pináculo do automobilismo", disse a dirigente.

Simona, por sua vez, agradeceu a oportunidade. "Não vou conseguir dizer a Monisha Kaltenborn e a Peter Sauber como estou grata por este apoio. Estou empolgada para poder contar com esta plataforma única de desenvolvimento para poder me preparar para o desafio", disse a piloto.

Se obter a vaga no grid, Simona vai encerrar um jejum de duas décadas sem mulheres na Fórmula 1. A última a disputar uma corrida foi a italiana Giovanna Amati, que defendeu a Brabham em 1992 antes de ser substituída por Damon Hill.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.