Sauber confia no potencial de Felipe Massa

Quase todo mundo sabia que Felipe Massa iria correr pela Sauber na próxima temporada. O piloto admitiu a transferência em entrevista ao O Estado de São Paulo, em setembro. Faltava apenas o anúncio oficial. E ele foi feito nesta terça-feira, em Hinwil, na Suíça, sede da equipe. "Depois de um ano como piloto de testes da Ferrari, aprendendo como a equipe e Michael Schumacher trabalham, estou convencido de que Massa poderá, agora, usufruir de todo o seu potencial", afirmou Peter Sauber, sócio do time.No seu campeonato de estréia na Fórmula 1, ano passado, Massa, aos 20 anos, demonstrou impressionante velocidade, mas, como seria natural, alguma imaturidade. Peter Sauber o orientou a aceitar o convite para ser piloto de testes da Ferrari e, quem sabe, retornar a sua escuderia mais tarde. Essa hora chegou. "A experiência com a Ferrari teve enorme validade para mim, aprendi muito, mas meu objetivo é voltar a correr, por isso estou superfeliz por retornar à Sauber", disse o piloto, que nesta terça tirou já o molde para o banco, a fim de provavelmente pilotar o carro nos testes que começam dia 25 de novembro.Não vai ser fácil para Massa deixar o cockpit dos modelos F 2002 e F 2003-GA da Ferrari, os dois campeões do mundo, como estava acostumado, para tentar tirar velocidade do C22 da Sauber, um dos piores da história da equipe. Ele e seu futuro companheiro, Giancarlo Fisichella, vão usar no Mundial que começa dia 7 de março na Austrália um carro que é, na realidade, o C22 revisto no que for possível. Isso porque a Sauber está investindo US$ 50 milhões em um supertúnel de vento, o mais avançado da Fórmula 1, mas que estará operante apenas em fevereiro. O primeiro projeto concebido nesse túnel será o de 2005, quando Massa, se comprovar, ano que vem o que se espera dele, poderá transferir-se para a Ferrari. Uma notícia boa para Massa: o motor e câmbio da Sauber serão os mesmos que a Ferrari irá utilizar no seu modelo de 2004.Nova Schin - O grupo Schincariol investirá cerca de R$ 25 milhões para associar a marca da nova cerveja à Fórmula 1. A empresa tornou-se uma das cotistas da Rede Globo no patrocínio das transmissões das 18 provas do Mundial de 2004.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.