Reprodução / Twitter / Sauber
Reprodução / Twitter / Sauber

Sauber promove colombiana a piloto de testes na Fórmula 1

Depois de passar pela F3 e pela GP3, Tatiana Calderón terá a oportunidade de guiar um carro da principal categoria do automobilismo

Estadão Conteúdo

06 Março 2018 | 12h14

Após ser contratada pela Sauber em 2017 como piloto de desenvolvimento, a colombiana Tatiana Calderón poderá ganhar suas primeiras chances na pista neste ano. Nesta terça-feira, a equipe suíça confirmou que ela foi promovido a piloto de testes para a temporada 2018.

+ Hamilton faz melhor volta e lidera dia de testes da Fórmula 1

+ Kubica exibe incômodo por ser reserva na Williams: 'Muito mais a perder'

A Sauber não confirmou que Calderón irá para a pista. Informou apenas que a atleta de 24 anos fará um trabalho mais completo nos simuladores e com os engenheiros tanto na fábrica quanto nos fins de semana dos GPs. Assim, deve auxiliar os pilotos titulares, o sueco Marcus Ericsson e o monegasco Charles Leclerc.

Como a Sauber não conta com outro piloto de testes ou reserva, Calderón tem grandes chances de pilotar neste ano pela primeira vez um carro de Fórmula 1. "Esta colaboração vai me acrescentar ainda mais experiência, na sequência do meu papel como piloto de desenvolvimento. Espero continuar neste caminho junto com a equipe", disse a colombiana.

A piloto se formou no programa da Fórmula Indy, nos Estados Unidos, e, na Europa, já disputou provas na F3 Europeia, na Fórmula 3 Britânica, na F3 e na GP3. Ela obteve pódios e outras boas colocações nestas categorias de formação. Neste ano, ela seguirá competindo na GP3, ao mesmo tempo em que atuará como piloto de testes da Sauber na F-1.

"Eu aumentei e desenvolvi consideravelmente as minhas habilidades de pilotagem neste último ano e estou convencida de que continuarei fazendo o mesmo neste ano", disse a colombiana, que tem o apoio da Equipe Telmex, time de formação da empresa mexicana que patrocina a Sauber.

Mais conteúdo sobre:
Fórmula 1 Sauber

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.