Schumacher admite continuar depois de 2006

Na sua primeira entrevista coletiva depois de ter conquistado o sexto título mundial, ainda no dia 12 de outubro no Japão, Michael Schumacher respondeu de forma objetiva, nesta quinta-feira, aos que afirmam que ele irá se retirar das pistas. "Tenho contrato até o fim de 2006 e o presidente da Ferrari (Luca di Montezemolo) disse que posso competir até quando desejar. Portanto, se no fim de 2006 eu tiver a mesma vontade e prazer de hoje, posso continuar correndo", avisou.Desfeitos os rumores de que irá deixar a Ferrari antes de terminar seu compromisso, Schumacher não se esquivou de falar de nada, na entrevista desta quinta-feira, em Madonna di Campiglio, na Itália. E como não poderia deixar de ser, elogiou a extensão o contrato de Rubens Barrichello até o fim de 2006, como de todo o grupo principal da equipe. "É uma decisão natural e lógica. Não há melhor escolha que Rubens. Ele evoluiu muito, é bastante veloz e trabalhamos junto sob ótima atmosfera na Ferrari", afirmou o alemão.Schumacher também comentou o atual momento de Williams e McLaren, que nos testes já realizados em 2004 têm se mostrado extremamente velozes. As duas competem com pneus Michelin, enquanto a Ferrari usa Bridgestone. "Esse também é o nosso trabalho, reverter eventuais situações em que estamos atrás, mas os treinos de inverno não refletem, com precisão, as potencialidades de cada um, não estou preocupado", garantiu. O piloto alemão admitiu, porém, que o avanço dos adversários devem tornar nova vitória no Mundial ainda mais difícil que em 2003. Como encontrar motivação para correr se já é primeiro em quase tudo na história da Fórmula 1? Schumacher responde rápido: "Como já mencionei outras vezes, faço parte de um grande grupo de trabalho, onde todos têm alta motivação para superar os concorrentes e o interesse de todos ajuda ainda mais a elevar o meu." Segundo disse o hexacampeão, o dia em que sentir que não pode mais superar o companheiro de equipe, será a hora de desistir. "Seria até perigoso prosseguir", explicou. Se Rubinho for campeão, então, ele se retiraria? "Depende de como eu perder. Se for por causa de um furo no pneu, não", revelou Schumacher. Decisão - Nesta sexta-feira, os representantes das equipes têm, em Londres, importante reunião com o presidente da FIA, Max Mosley. Na pauta, a definição do calendário de 2004, ou seja, a saída ou não do GP da França, dentre outros temas.

Agencia Estado,

15 de janeiro de 2004 | 17h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.