Schumacher admite decepção, mas tenta ser otimista

O retorno à Fórmula 1 após três anos de aposentadoria definitivamente não vem sendo como esperava o alemão Michael Schumacher. Na madrugada deste sábado, o piloto da Mercedes garantiu apenas o nono lugar no grid de largada para o GP da China e não escondeu a decepção pela modesta colocação, bem atrás do seu companheiro de equipe Nico Rosberg, quarto colocado.

AE, Agência Estado

17 de abril de 2010 | 10h51

Veja também:

link Vettel faz a terceira pole no ano em dobradinha da Red Bull na China

"Estou obviamente decepcionado pelo meu treino de classificação", admitiu o heptacampeão da categoria. "Em algumas áreas eu não fui rápido o suficiente e também em algumas saídas de curva. Eu realmente não achei o equilíbrio do carro durante todo o final de semana", explicou o piloto de 41 anos.

Mesmo largando em nono, Schumacher procurou manter certo otimismo. "Será difícil ser otimista amanhã (domingo) por causa da minha posição no grid, mas eu tive alguns começos (de prova) bons recentemente e sempre há espaço para muitas coisas acontecerem em corridas da Fórmula 1. Ainda podemos marcar alguns pontos importantes", finalizou o alemão.

Nesta temporada, o melhor resultado de Schumacher foi na etapa de estreia da Fórmula 1, quando ficou em sexto no Bahrein. O piloto foi apenas o décimo na Austrália e não terminou a última corrida, na Malásia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.