Schumacher celebra sorte na F1

Durante os mais de 50 anos de existência da Fórmula 1, o que sempre se discutiu foi quais as chances de determinado piloto vencer uma ou mais corridas da temporada. Michael Schumacher introduziu uma nova forma de pensar na torcida: quais as possibilidades de ele eventualmente não ser o primeiro colocado. O seu retrospecto neste Mundial não dá a menor abertura para se acreditar que outro piloto vencerá, por exemplo, a próxima etapa do campeonato, dia 18 na Hungria, ou mesmo as quatro que ainda restarão este ano.Nesta segunda-feira o piloto da Ferrari comentou o seu momento iluminado: "É impressionante também para mim. Tudo está dando certo, tenho consciência de que se trata de uma sorte incrível, à qual sou extremamente grato." Foi a segunda vez que Schumacher expressou algum misticismo nas suas palavras. A primeira ocorreu no domingo, quando se referiu a Deus, agradecendo-o por ter sido cinco vezes campeão do mundo no GP da França e uma semana depois ter vencido o GP da Alemanha, "seus sonhos."A outra foi nesta segunda-feira, ao mostrar-se grato a "alguém" pela "sorte" que o acompanha. Na entrevista divulgada pelo site especial da Ferrari voltado à mídia, Schumacher diz que agora vai descansar, mas sua vontade de continuar vencendo será a mesma quando regressar, dentro de pouco menos de três semanas. "Será mais divertido, sem tanta pressão, fazer o que mais gosto, que é ganhar corridas, buscar os limites do carro", declarou, respondendo a quem acredita que ele poderá arrefecer um pouco o ímpeto de conquistas. "Acho que assistiremos a provas fantásticas ainda."Tem mesmo razão, a novas exibições de um piloto brilhante. Em nenhum momento o alemão cita o companheiro de equipe, Rubens Barrichello, que de uma forma ou de outra tem participação no seu sucesso. "Eu queria de todas as maneiras vencer o GP da Alemanha com a Ferrari e também isso consegui, ainda que lamente a ausência de meu irmão ao meu lado no pódio por causa do problema mecânico que teve."Para o piloto da Ferrari, a festa da torcida com a dobradinha dos irmãos Schumacher seria completa. Ralf acabou em terceiro. Diante de tanta indiferença com o brasileiro, fica a questão: como reagiria a Ferrari se Barrichello declarasse que adoraria ter visto ao seu lado, no pódio do GP da Europa, quando venceu, o colombiano Juan Pablo Montoya, seu amigo, dando a entender que ele lhe daria mais satisfação que o companheiro?.Schumacher já não fala mais em trabalhar, quando as circunstâncias da competição permitirem, para Barrichello ser vice, mas apenas para que a Ferrari vença também o Mundial de Construtores, o que pode acontecer já no GP da Hungria, caso consiga nova dobradinha e a Williams não marque pontos. Se entre os pilotos a Ferrari é três vezes seguidas campeã com Schumacher, 2000, 2001 e 2002, entre os construtores, se ganhar agora, como tudo indica, somará quatro Mundiais na seqüência. "Com um time como o nosso, só se pode vencer", afirmou nesta segunda-feira o alemão.Tempo - A programação de Schumacher é simples para as próximas duas semanas: "Quero um tempo para mim, preciso me esticar, ficar com meus filhos, Gina Maria e Mick, e meus amigos." Falou mais: "Não existe melhor maneira de iniciar um período de férias do que com a sensação de profunda satisfação." Uma das razões de o piloto residir em Vufflens-le-Chateau, cidade localizada no lago de Genebra, na Suíça, é que os moradores do local o permitem praticar mountain-biking, por exemplo, sem ser importunado. Schumacher não contou para onde irá, mas não será surpresa se na sua primeira entrevista em Budapeste, onde será disputada a próxima etapa do campeonato, ele disser que ficou em casa.Nesta segunda-feira também o dirigente inglês Frank Williams afirmou o que quase todos já esperam: Juan Pablo Montoya será o sucessor de Schumacher na Ferrari, quando ele deixar de correr. O seu contrato com os italianos termina no fim de 2004, mas o alemão já expressou desejo de continuar correndo. "Eles (referindo-se à Ferrari) não são estúpidos e tentarão tirar Montoya de nós", afirmou Frank Williams. "Acredito mesmo que eles farão uma proposta ao nosso piloto." Em 29 corridas na Fórmula 1, Montoya estabeleceu 9 pole positions e venceu um GP, em Monza, Itália, ano passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.